Política
Foto: Divulgação

Helena Marquardt/DAV

Apontado como um dos nomes mais cotados para concorrer ao Governo do Estado em 2022, o senador Jorginho Mello (PL) não tem escondido que pretende mesmo dar sequência a novos projetos políticos e comandar o Executivo de Santa Catarina. Em entrevista exclusiva ao DAV ele confirmou essa possibilidade e falou do processo para a construção da candidatura e possíveis alianças.

“Ser governador de Santa Catarina é um privilégio. Sou político, já fui vereador, deputado estadual, federal, sou senador hoje e não posso negar que desejo sim um dia ser governador do Estado”, afirmou Mello.

O político comentou ainda que está trabalhando muito como senador e acredita que esteja exercendo seu mandato com sucesso e conseguido aprovar leis importantes. “Um exemplo é o Pronampe para salvar os micro e pequenos empresários que fez muita diferença especialmente agora na pandemia e tenho feito um trabalho dedicado que é a minha obrigação, mas que tem aparecido e sobressaído perante os outros senadores, tanto é que fui escolhido no ano passado o melhor senador do Brasil o que me dá muita alegria e satisfação até para o eleitor que me confiou seu voto e que hoje vê que valeu a pena”, completou.

Sobre a possibilidade de lançar uma candidatura a governador ele comenta que esta é uma construção que precisa ser feita com muito planejamento. “É uma coisa que vem de baixo, uma construção. Estamos tratando com todos os outros partidos, com o MDB, com o PP para que a gente possa fazer uma coligação vitoriosa”, revela.

Sobre a sua proximidade com Jair Bolsonaro ele acredita que isso pode dar força a candidatura. O Senador ainda defendeu o presidente. “Tenho o apoio do presidente Jair Bolsonaro e isso ajuda porque ele vai ser candidato à reeleição. Com todo respeito aos outros candidatos, ele é o favorito para ganhar as eleições em 2022. Terá ele e alguém da oposição e o povo vai ter que escolher se quer voltar ao passado com o PT e aquela roubalheira ou quer continuar com um governo sério mesmo com muitas dificuldades. O apoio do Bolsonaro para mim é muito importante e ele tem se manifestado que sou o candidato dele”, afirmou.

Ao fazer uma avaliação do governo de Santa Catarina o senador afirmou que o Estado vive hoje um dos momentos mais vergonhosos de sua história. “O desafio do próximo governador será fazer esse estado que é pujante, que é forte e competitivo, tirar algumas amarras além de trazer de volta a autoestima do catarinense. Nunca tivemos um governo que sumiu com R$ 33 milhões de uma vez só. Desapareceu e ninguém explica onde foram parar. O governador diz que não sabe, ninguém sabe. Então temos que voltar a crescer e voltar a ser o animador da economia nacional”, finaliza.