Alto Vale, Variedades

Reportagem: Gabriela Szenczuk

O sonho de ser mãe já vinha desde pequena. Ao brincar com a irmã mais nova, trocar as roupas das bonecas e leva-las para passear. Ana Claudia Garcia Leandro Vargas, de 29 anos, é natural de Leoberto Leal, mas conheceu o atual marido em Imbuia e hoje mora na cidade. Ao se conhecerem, em 2011, logo compartilharam do mesmo desejo: formar uma família. Porém, apenas em 2020 o sonho se tornou realidade.

Durante um ano e um mês o casal tentou ter um filho. No dia 15 de dezembro de 2012 Ana Claudia recebeu seu presente de aniversário: o teste de gravidez realizado pelo próprio marido, Claudio Vargas, de 52 anos, farmacêutico e bioquímico, deu positivo. Logo no início do ano seguinte, 2013, ao fazer o ultrassom, a descoberta de que o presente não só veio em dia especial, como em dose dupla: Ana Claudia e Claudio estavam esperando gêmeos. A felicidade e a expectativa eram enormes para a chegada de Lucas e Emanuel. Entretanto, com o passar dos dias, a mamãe de primeira viagem começou a sentir fortes dores. Na noite do dia 8 de abril daquele ano, além de muita dor, Ana teve sangramento, foi até um hospital e um dos bebês já estava encaixado para nascer. Ela perdeu o primeiro filho. No dia seguinte, ao tomar banho, a bolsa do segundo filho estourou e o casal viveu o segundo luto.

“Foi um período muito difícil, então nós decidimos deixar a ideia da gravidez um pouco de lado e focar na nossa festa de casamento, que foi em dezembro de 2013”, contou Ana Claudia. Em 2014 o casal retomou a ideia de engravidar e, investigando as possíveis causas das fortes dores na gravidez e a perda dos bebês, Ana descobriu que tinha o Fator V de Leiden, que significa que o organismo possui oito vezes mais chances de ter um trombo do que uma pessoa normal. “Descobri a trombofilia. Eu tive um trombo que obstruiu uma das artérias que levava os nutrientes necessários para a placenta e os bebês. Por isso a gravidez não vingou”, explica ela. Embora a descoberta da doença tenha sido uma surpresa nada agradável para o casal, eles seguiram na luta. “Eu me sentia frustrada. Via todas as mulheres ao meu redor engravidar. Me sentia menos que todo mundo e distante do meu sonho. Mas meu marido sempre me fortaleceu e incentivou para não desistirmos”, desabafou Ana.

No momento mais inusitado

Após muitas tentativas sem sucesso e a notícia da doença, Ana decidiu começar a faculdade de farmácia no ano passado. Com o foco na vida profissional, ela conta que deixou de se preocupar tanto com o fato de não conseguir ser mãe. “Quando eu desfoquei, quando eu menos esperava, aconteceu.” Dia 24 de junho de 2019 ela descobriu que estava grávida novamente. Entretanto, por conta da trombofilia, houve recomendação médica para que todos os dias fossem aplicadas injeções do medicamento Clexane para que o bebê viesse ao mundo de forma segura. “Foram 275 picadinhas de amor. Dia após dia. Foram 39 semanas para vir o nosso milagre.” Nascida em 10 de fevereiro de 2020, Lianna comemora três meses neste domingo, Dia das Mães, e Ana Claudia e Claudio têm a certeza de que tudo acontece exatamente no tempo que tem que acontecer. “Tudo no tempo de Deus”, conclui o casal.