Cidade, Segurança

Quatro dias depois do primeiro homicídio do ano em Rio do Sul, a Divisão de Investigação Criminal (Dic) divulgou o que pode ser o desfecho desta história trágica. Dois homens foram presos ontem (8) pela autoria do crime que tirou a vida de Gleison James Schulze, 28 anos, na última quinta-feira (4). Segundo a investigação, foi um assassinato passional.

O comerciante Adilson Marciano, 25, teria encomendado a morte de Schulze por suspeitar que o homem mantinha um caso amoroso com sua companheira. Ele teria pago a quantia de R$ 4 mil para o frentista Adélio Rodrigues dos Santos, 34 anos, fazer o serviço. Santos, por sua vez, conseguiu uma arma de fogo com um amigo e executou Shulze na noite de quinta-feira, quando a vítima estava na rua de casa.

Ele foi atingido por pelos menos três disparos assim que saiu do seu veículo. Os tiros acertaram o pulmão e o coração do jovem, que morreu na hora. Os moradores da rua Olinda chamaram os bombeiros e relataram ter ouvido disparos de arma de fogo e ter visto um carro saindo em disparada do local. Mais tarde, a Polícia Civil apurou que o carro era um Monza, que pertence ao autor do disparo.

A polícia elucidou o caso depois de uma denúncia anônima. De acordo com a Dic, ele teria falado para algumas pessoas que cometeu o crime. A Polícia Civil decretou a prisão preventiva dos dois suspeitos. Eles ficarão pelos próximos 30 dias no Presídio Regional de Rio do Sul. Os detalhes do crime ainda estão sendo apurados pela polícia. A arma do crime passará por perícia. Santos foi preso por cometer o crime e por posse ilegal de arma. Já Marciano, que responderá por homicídio com a qualificativa de motivo torpe, pode pegar mais de 12 anos de prisão.

Suellen Venturini


Gestão renova sistema administrativo de Rio do Campo