Saúde
Foto: Divulgação

Cláudia Pletsch/DAV

Dona Emma iniciou nessa semana o atendimento para exames de ultrassonografia. O aparelho de ultrassom diagnóstico de imagem 2D, foi adquirido com recursos próprios no valor de R$ 83.794,00, e agora os pacientes do município que antes precisavam se deslocar para cidades como Blumenau, Itajaí, Presidente Getúlio e Rio do Sul para realizar procedimentos simples, poderão fazer os exames na própria cidade. O equipamento digital de alta resolução, tem capacidade para realizar cerca de 25 exames de diferentes especialidades médicas. Ultrassonografia de músculos, vesícula, abdômen, mama, próstata e bexiga estão entre os procedimentos.

O secretário de Saúde de Dona Emma, Simão Hasckel, explica que uma vez por semana um profissional especializado estará atuando no município e atendendo de 10 a 12 pacientes por tarde. Ele ressalta ainda que o serviço deve oferecer mais agilidade no atendimento dos pacientes, já que para exames simples muitos tinham que se deslocar a outras cidades. Exames complexos e que necessitam de profissionais especializados em uma área específica continuarão sendo feitos em clínicas particulares. “Temos várias clínicas cadastradas mas essa questão dos exames é bem complexa pois por exemplo: um ecocardiograma do coração é feito somente por um cardiologista então nem toda clínica tem um cardiologista para fazer esse exame, por isso temos várias clínicas cadastradas e dependendo do tipo de exame que precisa ser feito o paciente vai ser encaminhado para uma clínica em uma cidade que atenda aos requisitos profissionais para fazer esse exame”, justifica.

Questionado sobre a demanda de pacientes que aguardam pelos exames o secretário revela que atualmente são 12 pessoas na fila de espera que é definida e regulada pelo Sistema Nacional de Regulação (Sisreg), assim como o SUS. “A demanda e a demora são os fatores que nos levaram a investir nesse equipamento, a demora para conseguir vagas nas clínicas pois só aceitam dois ou três agendamentos pelo SUS e as vezes o que que ocorre é que a clínica tem os 28 municípios cadastrados aí a gente não consegue vagas de forma rápida pois são muitos municípios para atender e poucas vagas pelo SUS ofertadas”, relata.

Sobre o valor gasto pela prefeitura com a contratação do profissional espacialmente para atuar na área, Simão garante que o gasto é o mesmo que a Administração teria tendo que levar os pacientes para outras cidades. “O valor gasto vai ser o mesmo, mas vai trazer mais comodidade pois a pessoa vai vir até a secretaria fazer o exame e vai voltar para casa, não precisa ir para Rio do Sul ficar o dia todo lá para depois voltar com o motorista. O carro da prefeitura também vai se deslocar menos, as pessoas farão menos viagens o que resulta em mais segurança quando agora o ultrassom pode ser feito aqui. Até o custo para o paciente vai ser menor pois por exemplo um paciente que vai para Blumenau fazer um exame precisa ter um custo para alimentação, para ficar o dia todo lá”, avalia.