Alto Vale
DCIM100MEDIADJI_0081.JPGArquivo/DAV

 

Por reclamações referentes ao edital, orçado em R$ 1,8 milhão, a Defesa Civil de Santa Catarina teve que anular o pregão presencial publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 10 de janeiro, que previa a contratação de empresas para serviços de manutenção preventiva e assistência técnica nos radares meteorológicos de Lontras, Araranguá e Chapecó. Agora um novo edital deve ser lançado.

 

O gerente de Captação de Recursos da Defesa Civil, Renan Inácio Rita, afirma que a anulação ocorreu após questionamentos de várias empresas e, por isso, o órgão vai alterar as especificações técnicas para lançar um novo edital.

“Quando precisamos fazer alguma alteração a gente não pode retificar. Temos que anular e depois lançar um novo processo”, comenta.

 

Ele revela que a manutenção é feita regularmente por algumas empresas e que o funcionamento dos radares não será comprometido de nenhuma forma.

“Já temos as empresas contratadas e só precisamos manter esse contrato vigente, mas se algum radar parar hoje, ainda temos um contrato de manutenção que finaliza em junho. Estamos fazendo em fevereiro para dar tempo”, esclarece.

 

Questionado sobre a frequência com que a manutenção é feita nos radares, o gerente afirma que cada peça apresenta um cronograma diferente.

“A manutenção é conforme o manual do fabricante. O radar pode ser comparado com um carro, a correia tem que trocar com uma determinada quilometragem, o óleo de cinco em cinco mil quilômetros por exemplo, e o radar é um equipamento semelhante em termos de manutenção. São várias peças que têm uma periodicidade para serem pelo menos revisadas e quando houver necessidade, tem a manutenção.”

 

Com o lançamento do novo edital, que ainda não tem data, ele revela que o orçamento pode sofrer alterações, mas ressalta que por enquanto não é possível falar em valores.

“Agora com as alterações teremos que novamente solicitar esses orçamentos para ver quanto vai ficar”, finaliza.

 

Helena Marquardt