Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

Após meses de campanha com objetivo de arrecadar um valor milionário para comprar o Zolgensma, medicamento utilizado no tratamento da Atrofia Muscular Espinhal (AME) tipo I, no valor de R$12 milhões, a pequena Eloá Helena de Ibirama conseguiu um avanço significativo nos últimos dias. Foram várias doações e a que mais chamou atenção foi no valor de R$7 milhões, vindos da campanha de Sofia Helena que também tem a mesma doença e que foi sorteada com o medicamento pelo laboratório que produz o remédio.

Como a campanha de Sofia Helena, no Oeste catarinense era acompanhada pela justiça, eles precisaram prestar contas do valor e através de uma live nas redes sociais anunciaram que iriam destinar todo o valor para a Eloá, no Alto Vale. Com isso, o valor total arrecadado pela menina ibiramense soma agora aproximadamente R$ 8 milhões.

Uma das voluntárias que coordena a campanha, Patrícia Fernanda Rossa Roper, conta que tudo é organizado e a prestação de contas é feita a cada 15 dias. “Os R$7 milhões que vieram para a campanha da Eloá eram da campanha da Sofia Helena, que ganhou o medicamento em um sorteio que o laboratório sempre faz. Ela foi uma das contempladas. Como ela já tinha esse saldo na conta dela e ela precisa prestar contas disso porque todas as campanhas são judiciais, esse valor que tinha na conta, eles fizeram uma live de prestação de contas onde optaram por doar todo o valor para a campanha da Eloá Helena. Tem todo um trâmite jurídico que precisa ser feito, mas a campanha da Eloá também precisará prestar contas com a campanha da Sofia”, explica.

Embora a família tenha pressa para conseguir o valor restante, que é considerado alto, o avanço na arrecadação se deu de forma muito rápida e deu esperanças de que em breve eles possam fazer a aquisição. No início do mês de maio, mesmo com todos os eventos realizados em prol da menina de sete meses, o total estava longe de R$1 milhão. Poucos dias depois, o cantor Mano Walter e sua esposa, a ex-miss Santa Catarina, Débora Silva conheceram a história da menina e divulgaram o pedido de ajuda. Depois disso as redes sociais da campanha ganharam seguidores e chegaram ao primeiro milhão.

“A campanha toda tem um grupo de whatsapp que tem as ações dos famosos, então temos um responsável que fica chamando a atenção deles nas redes sociais. Esse grupo vai criando comentários, curtindo publicações até chamar a atenção do artista para estar ajudando a gente na divulgação da campanha. Depois que ele fez a postagem ali, as redes sociais da Eloá bombaram e naquele final de semana conseguimos o primeiro milhão, com as ações e doações de novos seguidores”, comenta.

Ela ressalta que apesar de a novidade ser uma boa surpresa, a campanha não pode parar porque o “Dia Z”, dia de dar início à compra do Zolgensma, ainda está longe e eles esperam poder comprar a medicação o quanto antes para facilitar o tratamento. “Nós continuamos em busca dos R$12 milhões, porque ainda não atingimos o valor. Esse dinheiro é só o valor da medicação, mas tem toda uma questão de pós-procedimento. Esperamos que ela tome a medicação em tempo recorde, porque ela tem só sete meses e a maioria das crianças tomaram depois de um ano. Ela tem até os dois anos para estar tomando e quanto antes melhor para ela”, avalia.

Ações em andamento

Pedágio solidário, troco solidário, arrecadação de tampinhas. Todas essas ações que envolvem a região devem continuar. Patrícia ressalta que alguns estabelecimentos comerciais de Rio do Sul têm ajudado bastante e que até criaram um combo com o nome da menina. “Ontem a gente teve promoção de combo na Azeite de Oliva, onde comprando o combo de R$29,90, R$6 eram revertidos para a Eloá. A gente tem também a campanha dos livros. Estamos arrecadando e no próximo Sábado Feliz, dia 12 de junho estaremos na praça vendendo. Temos a arrecadação de roupas, calçados e acessórios porque logo vamos ter um brechó. Temos ainda a campanha de coleta de tampinhas e lacres, que Rio do Sul toda abraçou, principalmente as escolas”, acrescenta.
Por fim, para que os pais de Eloá consigam atingir o valor necessário o quanto antes, Patrícia disse que seriam necessários outros voluntários e pede para que as pessoas que puderem e tiverem vontade de auxiliar na causa entrem em contato através do telefone, no número (47) 9 8834-9663.