Política
Reprodução/ Governo de Santa Catarina

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

O empresário rio-sulense Amandio João da Silva Júnior, assumiu nesta segunda-feira (11) a secretaria de Estado da Casa Civil após a exoneração de Douglas Borba, envolvido no escândalo da compra d e 200 respiradores por R$ 33 milhões e pagamento antecipado a uma empresa fantasma. Na primeira entrevista a frente da pasta, o representante do Alto Vale falou em “enorme desafio” e como pretende aproximar o Governo das entidades para transformar dificuldades em oportunidades.

Amandio já foi adjunto do Desenvolvimento Econômico e Sustentável do Governo Moisés ao lado de Lucas Esmeraldino e havia deixado o cargo em dezembro do ano passado após 12 meses na secretaria. Na época, em nota ele afirmou a saída era uma decisão sua, mas não explicou os motivos.

O empresário assumiu um dos maiores desafios da carreira ao ir para a linha de frente do governo que enfrenta uma grave crise política e é alvo de diversas investigações. Na primeira coletiva ao lado do governador ele elogiou a gestão de Moisés. “Temos um governo íntegro, um governo sério formado por pessoas qualificadas, mas que nesse momento precisa de uma retomada e essa retomada vai ser alicerçada na base do diálogo que é fundamental e tão importante”, comentou.

Ele afirmou ainda que além de construir pontes, o diálogo pode criar alternativas para superar a crise e colocar em prática tudo aquilo que foi projetado pelo Governo do Estado. “É um enorme desafio, mas tenho convicção de que as próximas decisões tomadas, os alinhamentos que tivemos na conversa de ontem a noite e que aqui estamos propondo, especialmente a proximidade com as entidades, vai catapultar esse governo e transformar as dificuldade que temos hoje em grandes oportunidades”, finaliza.