Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

A SCGás ligou a 300ª indústria à sua rede de distribuição em Santa Catarina em agosto. O marco foi concretizado com o início do fornecimento de gás natural para a Bovenau, indústria do segmento automotivo em Laurentino, no Alto Vale do Itajaí.

Atualmente seis empresas da região fazem uso do produto. Além da Bovenau, a Pamplona Alimentos, Paitech, Posto do Encontro e Posto R4 e Casa do Pão.

De acordo com a gestora industrial e da qualidade na Bovenau, Daniela Maschio, a utilização de gás natural é recente na empresa. “Ele foi instalado há duas semanas e será utilizado para limpeza dos produtos, porque para que os materiais sejam pintados, a gente precisa retirar a sujeira do aço e só depois aplicar a tinta”, explica.

Daniela diz também que em apenas duas semanas de uso, a empresa já teve uma economia de mais de 20% e que a segurança é um dos pontos positivos da utilização do gás natural. “Antes nós utilizávamos o gás normal de cilindro e hoje, como é com rede de abastecimento, além da economia de 22%, número que ainda queremos aumentar, tem um fator muito importante que é a segurança, já que nós não temos mais a movimentação de cilindros na área interna. O gás sai da central, passa para a tubulação e entra no motor para aquecer a água utilizada na limpeza das peças”, esclarece.

Segundo informações repassadas pela distribuidora, o gás natural chegou a Rio do Sul em 2016, através do projeto de infraestrutura “Serra Catarinense”. A intenção era levar o gás de Indaial, local onde a rede estava, até Lages. Atualmente, a rede de distribuição está com duas etapas em execução. Uma delas está quase pronta que é a de Rio do Sul à Trombudo Central e a outra de Trombudo Central até Pouso Redondo ainda será executada. No primeiro trecho, o gasoduto fica localizado às margens da BR-470. “A Bovenau fica perto da BR e isso facilitou a distribuição. Lá, eles atuam no segmento automotivo pesado e vão utilizar o gás natural em um tanque de desengraxante com queimadores. Antes era utilizado o GLP que é aquele por tanque, os caminhões chegam e abastecem” disse Jorge Andre Wetsel, que trabalha no comercial da distribuidora.

Benefícios do Gás natural

De acordo com Jorge, o uso tem muitas vantagens e o preço é uma delas. “As principais diferenças entre o GLP e o natural estão no custo, já que o natural é mais barato. Além disso, o natural é mais eficiente porque chega através de tubulação, enquanto que o outro depende de tanques de abastecimento”, explica.
Ainda de acordo com a distribuidora, Santa Catarina possui uma das menores tarifas industriais do país, o que atrai indústrias para o estado e gera competitividade entre elas. Isso proporciona benefícios no mercado nacional e internacional, com maiores produções. Além disso, o gás se adapta a vários segmentos da indústria, como a metalomecânica e empresas automotivas no qual se enquadra a Bovenau.

Consumo em Santa Catarina

Após duas décadas da primeira indústria atendida pela SCGás, a Döhler de Joinville, Santa Catarina se consolida como um dos estados do país com o maior número de consumo de gás natural. Grandes marcas catarinenses de diversos segmentos são abastecidas pela Companhia, representando, segundo dados da Fiesc, mais de 50% do PIB industrial catarinense.
“Neste momento de desafios impostos pela pandemia, a SCGás renova seu compromisso com os catarinenses. Enquanto concessionária pública, temos a responsabilidade de interiorizar a oferta do gás natural para promover o desenvolvimento socioeconômico. Esta conquista nos motiva ainda mais a buscar as ambiciosas metas estabelecidas para os próximos anos em nosso plano de negócios”, afirma o presidente da SCGás, Willian Anderson Lehmkuhl.