Cidade
Foto: Helena Marquardt/DAV

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

A Ônibus Circular Ltda, que tem a concessão do transporte coletivo em Rio do Sul emitiu nesta quarta-feira (2) uma nota oficial em que comenta o Projeto de Lei enviado pelo Executivo para à Câmara de Vereadores que prevê um auxílio financeiro de R$ 720 mil para que a empresa faça a retomada do serviço.

No documento a empresa alega que teve conhecimento do projeto de lei somente na terça-feira (1º) e que havia protocolado já no dia 6 de maio junto à prefeitura de Rio do Sul um pedido de subsídio para a operação do serviço de transporte público, que visava equilibrar economicamente o sistema.

Segundo a Ônibus Circular, esse subsídio seria fundamental para dar andamento e não interromper o serviço já que por causa da pandemia a receita da empresa teria sido quase zerada e as reservas já teriam se esgotado, mesmo assim era preciso manter obrigações como folha, fornecedores e tributos. “Sem o devido suporte do poder público a empresa restará inviabilizada de prestar seus serviços à população”, declarou em nota.

Na nota, assinada pela direção da empresa, eles relatam  que tiveram contatos e reuniões com as autoridades municipais nestes quase cinco meses, desde o início das restrições de atividades impostas em função da pandemia, para buscar algum auxílio que permitisse a manutenção da estrutura durante o período de paralização, e assim ter condições de retorno quando esse serviço essencial prestado à comunidade fosse liberado.

Como fruto destas tratativas, o Município de Rio do Sul, a exemplo de outros do estado, como Jaraguá do Sul elaborou o Projeto de Lei, que foi enviado em caráter de urgência para da Câmara Municipal nesta terça-feira sendo que a data de apreciação por parte dos vereadores ainda não foi divulgada.“É importante esclarecer que, este auxílio, permite que a empresa retome o transporte público em 24 horas após a publicação do decreto de liberação, como também, impede qualquer repasse tarifário pelos próximos seis meses”, ressalta.

A nota diz ainda que a empresa conta com o entendimento da Câmara de Vereadores e de toda a população e clientes diante da gravidade do momento em que vive o transporte público em todas as cidades do país. “O governo federal, vem adotando medidas para auxiliar o transporte público em cidades maiores que visam justamente socorrer as empresas atuantes no setor rodoviário, urbano e semiurbano, considerando a grave situação econômica das mesmas. No entanto, tais medidas deixam de amparar as cidades menores, como é o caso de Rio do Sul e a maioria das cidades de nosso estado, relegando, esta obrigação para as prefeituras”, finaliza.