Alto Vale

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Depois de mais de 10 anos de espera a ordem de serviço para a revitalização da SC-425, em Mirim Doce, foi assinada no dia 19 de julho durante visita do governador a cidade, mas até então os trabalhos não haviam de fato iniciado. Somente depois de ser notificado duas vezes pelo Governo do Estado e sob a ameaça de ter o contrato rompido é que o Consórcio Ebrax, vencedor da licitação, iniciou a obra no trecho nesta quarta-feira (8).

A empresa contratada tem um prazo de 12 meses para concluir a revitalização que representa praticamente a reconstrução da rodovia. O investimento do Governo do Estado chega a R$ 8,9 milhões para um trecho de 7,7 quilômetros. Os serviços contemplam recuperação do pavimento, serviços de terraplenagem, pavimentação, drenagem, obras de arte corrente, sinalização, meio ambiente e serviços complementares.

O Consórcio Ebrax, do Rio Grande do Sul que venceu a licitação para a recuperação da SC-425 em Mirim Doce, pertence a um grupo econômico que está em recuperação judicial, o que traz preocupação em relação à capacidade de realização dos trabalhos e sua conclusão.

Procurada pela reportagem no início de julho, a Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade declarou através de sua assessoria de imprensa que a recuperação judicial não seria motivo legal de impedimento para que a vencedora executasse a obra.

No entanto, diante da demora para o início dos trabalhos a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade realizou reuniões com o consórcio Ebrax, vencedor do processo licitatório, para resolver questões técnicas relacionadas ao projeto e após encontro no dia 25 de agosto a empresa se comprometeu em iniciar a obra no dia 1º de setembro, o que não ocorreu. O consórcio já foi até então notificado duas vezes por não cumprimento do contrato. Finalmente os trabalhos foram iniciados, mas caso a empresa não dê o seguimento acordado a SIE declarou que tomará as providências previstas no edital.

Obra é uma das mais importantes para Mirim Doce

O prefeito de Mirim Doce, Bernardo Peron, afirmou que as atuais condições da rodovia impedem o crescimento do município, uma vez que empresas buscam locais com boa logística para se instalar. “Irá melhorar a segurança, trafegabilidade e o escoamento da produção, fator fundamental para a geração de emprego e renda, que também impulsiona a economia local”, afirmou.