Cidade
Foto: Divulgação Equovale

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

A Associação dos Pais e Apoiadores de Equoterapia no Alto Vale do Itajaí (Equovale) vai retomar no dia 19 de outubro os seus serviços após meses de paralisação em virtude da pandemia. Inicialmente, a entidade vai receber apenas os pacientes que tiveram piora no tratamento sem a terapia e mais tarde a intenção é normalizar todos atendimentos.

A presidente da Associação, Ivonete Sens Bento, explica que o local também terá mudança por causa da Covid. “A gente estava no Taboão, num local cedido onde as pessoas tem uma saúde mais fragilizada então não podemos voltar a fazer a equoterapia lá. Como todos os nossos praticantes também são pessoas mais sensíveis quando veio a pandemia optamos por parar tudo, mas agora vamos retornar gradualmente num outro local, num sítio em Agronômica”, lembra.

Ela conta que nesse momento voltam a ser atendidos cinco pacientes por dia para que seja possível fazer um intervalo entre um atendimento e outro para esterilizar toda a montaria e demais materiais utilizados. “Temos que limpar até mesmo o cavalo, o que demanda tempo e por isso tivemos que diminuir o número de praticantes”, completa.

Antes da pandemia a entidade atendia 12 pessoas e já haviam mais 19 na fila de espera, já que a Associação é a única no Alto Vale que oferece esse tipo de serviço. Sem a terapia, Ivonete explica que muitos pacientes acabaram sentindo a ausência, estagnando ou até regredindo no tratamento. “Vão retornar agora nesse primeiro momento aqueles que sentiram essa necessidade. A mãe de uma praticante inclusive me disse que o próprio pediatra recomendou que a filha fizesse equoterapia. Ela é indicada para uma série de doenças, tratamento de sequelas e ajuda bastante”, afirma.

Entidade ainda busca recursos para comprar estrutura

Como a entidade funciona em espaços cedidos onde não há uma cobertura, em dias de chuva a equoterapia não pode ser realizada. Por isso, há algum tempo a associação promove uma campanha para arrecadar recursos e comprar uma estrutura móvel como tendas. “Nós até conseguimos um pouco do valor, mas faltava cerca de R$ 12 mil. Temos que fazer uma cobertura que quando a gente mudar possa levar embora e precisa ter mais de quatro metros de altura por causa do cavalo”, esclarece.

A Equovale havia programado diversos eventos de arrecadação para conseguir o restante do valor, mas todos precisaram ser cancelados em virtude da pandemia. Agora a entidade lançou uma ação entre amigos no valor de R$ 2,00 cada número para que a comunidade possa contribuir com a compra.