Alto Vale
Foto: Divulgação

Jorge Matias

 

As 17 escolas estaduais da região de Rio do Sul, já se preparam para a as eleições de diretores que acontecem entre os dias 23 e 25 de outubro. Os mandatos são de quatro anos e os futuros gestores assumem o cargo no dia 2 de janeiro de 2020 e permanecem na função até o 31 de dezembro de 2023.

 

Os candidatos serão escolhidos por meio de suas propostas, com diretrizes administrativas, físicas, financeiras e pedagógicas. Esse modelo de pleito, possibilita mais transparência, pois nas eleições anteriores a escolha era direta ou por indicação política. De acordo com o Supervisor Regional de Educação, Ernane José Schneider, o que está se escolhendo nessas eleições, sobretudo, é o plano de gestão. “O candidato elabora metas e ações a serem cumpridas nos próximos quatro anos”, completou.

 

Podem participar da votação alunos das séries finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, além de pais de estudantes menores de 18 anos e servidores efetivos nas escolas. A novidade para esta eleição é que, para cada aluno, até dois pais ou responsáveis podem votar. Na eleição anterior era apenas um. “Nessas eleições o voto tem a mesma paridade, não haverá diferença no peso do voto entre pais, alunos e professores”, comentou Schneider.

 

Na regional de Rio do Sul, das 17 unidades escolares espalhadas pelos sete municípios, apenas uma não irá realizar a eleição, por não haver candidatos e nesse caso será feita uma indicação pelo Conselho Educacional. Três escolas terão dois ou mais candidatos, porém em outras 13 há apenas um candidato concorrendo.

Defesa pública dos
planos

 

Os Planos de Gestão de cada candidato são públicos e podem ser acessados no site da Secretaria Estadual da Educação, com o nome de cada uma das escolas. As comissões eleitorais organizam a defesa pública dos planos, divulgando, convidando a comunidade escolar a participar e definindo a data para apresentação do documento.

 

Conforme Schneider, existem alguns pré-requisitos para que os candidatos possam protocolar a candidatura. “Podem se candidatar, professores e funcionários de carreira que atuam na secretaria, administração ou orientadores pedagógicos, e eles não podem estar envolvidos em processos disciplinares e devem acumular um número menor de cinco faltas nos últimos três anos”, concluiu.