Cidade, Segurança
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Em uma operação inédita de investigação, policiais penais do Presídio Regional de Rio do Sul apreenderam uma grande quantidade de drogas e outros materiais ilícitos na unidade. Os materiais eram colocados por uma mulher em um local específico para que os detentos pudessem fazer a coleta. Ela acabou presa.

De acordo com o diretor do presídio, Nei Feuzer, a operação é o resultado de semanas de um intenso trabalho de inteligência que acabou com agentes fazendo a apreensão na área externa do presídio de uma grande quantidade de drogas, celulares e outros materiais que iriam ser distribuídos em um esquema criminoso envolvendo pessoas que estavam na rua e presos da unidade.

Foram apreendidos na ocasião 900 micropontos de LSD divididos, aproximadamente 980 gramas de maconha, aproximadamente 106 gramas de substância Skunk, aproximadamente 1.583 gramas de fumo, 28 pacotes de papel seda, 12 carregadores de celular, nove fones de ouvido; 17 chips de celular, quatro carteiras de cigarro e oito aparelhos celular.

Nei contou que todo o material apreendido e o conteúdo das investigações foram entregues a Policia Civil que prosseguiu com o trabalho em conjunto e realizou as diligências que culminaram na prisão da mulher que negociava com os presos. Com esta operação, outros criminosos estão sendo identificados e poderão ser presos nos próximos dias.

 

Mulher que levava as drogas acabou presa

Após a Polícia Penal repassar informações a Polícia Civil, a Divisão de Investigação Criminal com o apoio da Delegacia de Polícia da Comarca, deflagrou também uma operação para coibir o tráfico de drogas no Presídio Regional de Rio do Sul.

Policiais deram cumprimento a mandados de busca e apreensão e de prisão temporária expedidos pelo Poder Judiciário contra uma mulher, de 25 anos, apontada como a pessoa que realizava a preparação e o transporte de drogas, aparelhos celulares e acessórios, além de outros objetos, até as proximidades do presídio onde ela colocava tudo num local específico para que depois eles fossem coletados e distribuídos entre os detentos.
Além da mulher presa outras pessoas são investigadas como suspeitas de terem cometido os crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico.