Cidade
Foto: Rafael Cardoso

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

O estado de Santa Catarina registrou no mês de janeiro de 2022 um novo recorde na redução dos índices de criminalidade, sobretudo na taxa de homicídios, latrocínio e confronto policial. Embora o resultado tenha sido positivo ainda há alguns crimes que precisam ser combatidos com mais intensidade para que os índices sejam menores nas próximas avaliações. O delegado regional de polícia de Rio do Sul fala sobre o estelionato.

O presidente do Colegiado Superior, perito-geral Giovani Eduardo Adriano, comemorou os resultados, mas afirma que é preciso atenção e estabelecer ações direcionadas.

“O crime de estelionato continua avançando, principalmente, em função dos golpes praticados no ambiente digital. Esse é um desafio a ser superado e estamos trabalhando em busca de soluções, porém, nesse caso, a participação dos cidadãos é fundamental. Quando se conhece os riscos e as medidas de proteção, estudos mostram que 97% dos golpes não aconteceriam. Por isso, muita atenção ao navegar na internet”, alerta.

O delegado regional de polícia, Leonardo Marcondes Machado, explica que em relação ao estelionato, na região do Alto Vale, o enfrentamento a esse tipo de criminalidade ocorre, além da investigação criminal, por meio de campanhas educativas à população. “A conscientização tem se mostrado a ferramenta mais efetiva para a prevenção desses casos. Isso porque o estelionato, inclusive na forma digital, é um tipo de crime que depende muito do comportamento da própria vítima, seja fornecendo dados pessoais, acessando links ou baixando programas”.

Leonardo ainda enfatiza a importância das cartilhas informativas que a Polícia Civil vem produzindo com mais informações sobre o crime, a fim de evitar que as pessoas caiam nesse tipo de golpe. O delegado explica que os índices negativos de estelionato se deram também na pandemia, período em que as pessoas passaram a usar mais a internet.

“É possível afirmar que, de fato, os casos de estelionato aumentaram durante o período da pandemia, especialmente no ambiente virtual. O que, aliás, já era esperado, tendo em vista a nova forma de organização social, cada vez mais mediada pela internet”, acrescenta.

Outros crimes

De acordo com a divulgação dos índices de criminalidade feita pelo Colegiado Superior de Segurança Pública de Santa Catarina, se comparado ao mesmo mês do ano passado, os crimes com maior redução foram os homicídios, latrocínio e confronto policial.
A taxa de homicídios sofreu redução de 3,49%, alcançando o melhor resultado para o período desde o início da série histórica em 2008. O índice de latrocínio teve redução de 53,3% e o indicador de confronto policial caiu 90,67%. Ambos também representam os melhores índices já alcançados desde 2008.

O número de roubos registrados no estado nesse primeiro mês do ano confirma queda de 17,54%, a melhor marca obtida desde 2010 se comparado ao mesmo período do ano anterior. O indicador de roubos e furtos a instituições financeiras também sofreu queda significativa entre os períodos comparados, alcançando uma redução de 54,55%. Melhor marca desde 2011.

Embora o índice de furtos tenha sofrido aumento de 12,26% em comparação com janeiro de 2021, o resultado obtido é o segundo melhor da série histórica, que teve início em 2010. Destaque ainda para a redução do índice de violência doméstica, que caiu 4% no comparativo com o mesmo período.

“O resultado, mais uma vez, confirma o acerto na criação do modelo de Colegiado de Segurança Pública, inédito no Brasil, além do investimento de R$ 343 milhões, o maior já realizado no setor em toda a história de Santa Catarina”, destaca o governador Carlos Moisés.