Alto Vale
Arquivo/DAV

 

Reportagem: Sérgio Chicato

 

A falta de chuvas regulares já preocupa e ameaça o abastecimento de água na região de Taió. Para se ter uma ideia o nível na montante, dentro da Barragem Oeste, no domingo (29) estava em um metro e dez centímetros. Na jusante, ou seja, depois da Barragem o nível do rio era de 30 centímetros. No centro da cidade, na régua que fica na ponte Edmund Ern, junto a ponte de treliça que dá acesso aos bairros Victor Konder e Universitário, o nível era de 46 centímetros.

 

Nas grandes enchentes esse mesmo rio chega a subir mais de nove metros acima do seu nível normal. No Rio Taió que vem de Mirim Doce, a situação não é muito diferente, o nível está com um volume de água poucas vezes visto. Na ponte próxima da prefeitura o rio está tão baixo que é possível ver o fundo do rio e, é neste rio a Casan capta a água que depois é distribuída em Taió.

 

A última vez que choveu com mais intensidade em Taió foi no dia 26 de fevereiro quando foram registrados 51 milímetros. O acumulado do mês de fevereiro foi de 173 milímetros. No mês de janeiro choveu segundo a Estação de Captação de Chuvas na Barragem Oeste 108 milímetros. Em março, desde o dia 1º até o sábado 28, choveu menos de um milímetro, ou seja, faz quase 30 dias que não chove na região. Neste domingo choveu um pouco na parte da manhã e voltou a cair uma chuva bem fraca no início da noite, mas que não foi suficiente nem para aguar as plantas.

 

Pedido de economia

 

Em razão da estiagem que vem atingindo a região, a agência da Casan em Taió vem reforçando o pedido para que a comunidade economize água. A orientação é não lavar calçadas, carro ou até as casas. Com o isolamento forçado, muitos estão utilizando o tempo livre para colocar a faxina em dia e o consumo tem aumentado muito e isso torna a situação ainda mais preocupante.

 

Devido ao nível muito baixo do Rio Taió o momento é de atenção. Até o momento segundo a gerente da agência de Taió, Fabiana da Silva Moratelli, o abastecimento é normal e pede o uso consciente da água enquanto não voltar a chover com intensidade.