Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

As estradas da Terra Indígena Laklãnõ, no trecho de José Boiteux, estão passando por uma revitalização completa. Ao todo são mais de 100 quilômetros que serão reabertos e macadamizados. Desse total cerca de 50 já tiveram as melhorias concluídas. Os trabalhos devem garantir facilitar o acesso dos moradores às propriedades e também beneficiar motoristas que passam pelo local para chegar a outros municípios.

Segundo o prefeito, Adair Antônio Stollmeier, os trabalhos estão sendo feitos porque as estradas estavam precisando de manutenção. “Estamos fazendo um trabalho diferenciado, limpando valetas, desentupindo todos os bueiros para depois colocar o material. Estamos fazendo trabalho de abertura nas estradas e nos próximos anos precisará de poucas manutenções. A gente já fez essa base na promessa de que a Defesa Civil mandaria a brita, até então não aconteceu, mas a gente está fazendo as estradas bem feitas, sem tapear”, pontuou.

Questionado sobre os investimentos, Pico, como é conhecido, diz que ainda não existe um cálculo total porque as obras continuam, mas os valores ao final devem ser bastante elevados. “É um investimento alto, ainda não calculamos o total, mas gastamos além do material nas estradas, um valor significativo com oficinas, em razão do maquinário que não é mais novo e que com o trabalho pesado acaba estragando”, comenta.

Ele ainda afirma que as outras localidades também serão beneficiadas com as melhorias nas estradas, mas que é preciso paciência. “Todos querem estradas e ao mesmo tempo, eu peço que tenham calma porque nós faremos aos poucos e bem feito”, comenta.

O prefeito diz que os moradores da Terra Indígena não são os únicos beneficiados, já que o trecho é caminho de pessoas de outras cidades também. “Nós temos o transporte escolar próprio, terceirizado e vimos a necessidade principalmente para a segurança das crianças. Não é somente uma questão de infraestrutura para os indígenas que residem ali, mas é segurança para todos, além de ofertar boas condições no local que também dá acesso a outros municípios, como Taió, Doutor Pedrinho e Vitor Meireles. Muita gente passa por lá”, acrescenta.

O cacique presidente da Terra Indígena Laklãnõ, Nilton Ndili, agradeceu as melhorias. “Estou parabenizando o prefeito pelo excelente trabalho que está fazendo dentro da Terra Indígena, fazendo reabertura das estradas, macadamizando e fazendo esse ótimo trabalho para a comunidade. Agradecemos também a Defesa Civil que está se mobilizando para fazer a licitação da empresa que deverá macadamizar os pontos necessários da terra indígena”.

As melhorias são encaradas pelo município como um trabalho preventivo para os períodos de muita chuva. “Em reunião com a Defesa Civil do Estado eu já falei sobre isso porque não adianta deixar para arrumar nos períodos em que a barragem está mais cheia. Antes das chuvas precisamos deixar bem feito”, finaliza.

O que diz a Defesa Civil de SC?

O assessor militar da Defesa Civil do Estado de Santa Catarina, Emerson Neri Emerim diz que a ideia é providenciar uma licitação para contratar todos os trabalhos e explica o acordo inicial com a prefeitura. “Na verdade tem um acordo que fizemos junto ao Ministério Público Federal, prefeituras e lideranças indígenas, no sentido de que quando a Defesa Civil fosse operar a barragem e que fosse afetar a comunidade indígena, nós ajudaríamos nas estradas. O acordo inicial era de que a gente estaria fornecendo o cascalho e os municípios entrariam com maquinário e mão de obra, mas estamos mudando a estratégia. Hoje, as estradas de José Boiteux estão sendo melhoradas por conta exclusiva da prefeitura. A nossa ideia para o futuro é diferente, estamos fazendo licitação, registro de preços para contratar todo o trabalho para melhorar as estradas, mas ainda não foi licitado e deve ser feito esse ano, a previsão é de três meses, mas pode ser que saia antes”, esclarece.