Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

Os problemas causados pelos elevados índices de poluição e desmatamento estão refletindo nas temperaturas e no acesso à água potável. Para chamar a atenção das pessoas e de alunos para o tema, estudantes da Escola de Educação Básica Dr. Frederico Rolla, de Atalanta, desenvolveram o projeto Plantando o Futuro, que se destacou entre quase 250 inscritos e foi premiado na 6ª edição do Desafio Criativos da Escola, organizado pelo programa Criativos da Escola, um movimento nacional do Instituto Alana. Os alunos receberam R$2 mil para execução dos trabalhos.

O projeto promove ações para combater mudanças no clima e incentiva crianças e jovens a participarem de atividades voluntárias em favor da conservação da biodiversidade. De acordo com os estudantes, a iniciativa reforça a importância da discussão sobre o clima e incentiva as futuras gerações a se envolverem com as mudanças que devem ser urgentes.

O coordenador do programa Criativos da Escola, Gabriel Salgado, disse que o projeto dos estudantes de Atalanta chamou a atenção pelo protagonismo, criatividade e empatia, critérios utilizados para a premiação. “O grupo é muito mobilizado, e mesmo assim eles estão com o objetivo de expandir as ações do projeto para crianças menores da realidade deles, para que possam participar e sigam com esse projeto cada vez mais. Isso é muito legal e a gente sempre olha para os projetos identificando como eles estimulam o protagonismo dos estudantes, a criatividade, a empatia, trabalho em equipe e potencial de transformação social. Eu posso dizer que esses alunos têm muitos desses elementos desses critérios todos e que chamaram a nossa atenção pelo que já desenvolvem”, destaca.

Gabriel também ressalta que as ações do programa visam a atenção da sociedade para a transformação que os jovens estão promovendo na sociedade através de projetos. “A gente acredita muito no protagonismo das crianças e adolescentes e na importância de valorizar e convocar esses alunos na melhora da educação, escola, estado, país. Ano passado fomos atravessados pela pandeia e tivemos que revisar a nossa premiação e por isso conseguimos ampliar o número de premiados e entre eles está o de Atalanta”, comenta.

O grupo formado por alunos dos anos finais do ensino fundamental e ensino médio tem cerca de 30 pessoas e apresenta o projeto ‘Plantando pelo Futuro’ em diversas unidades de ensino da região. Além da premiação obtida pelo programa, a iniciativa também faz parte do movimento do Fridays For Future (Sextas-Feiras Para o futuro), que busca soluções para o aquecimento global. Os alunos mobilizam a sociedade para plantação de árvores, criação de hortas públicas, restauração de áreas degradadas, principalmente espaços públicos.

Para a assessora da escola, Laís Camila Klaumann Costa Paes, o prêmio trazido para escola através dos alunos é muito importante, pois mostra que o objetivo de preservar o ambiente através dos jovens está sendo alcançado. Ela diz ainda que todos os anos novos desafios são elencados. “Através desse prêmio percebemos o quanto é importante mostrar que os nossos jovens podem e estão fazendo a diferença. Se cada um fizer sua parte poderemos mudar o cenário de agressão à natureza que tanto nos preocupa. Além disso, esse foi um estímulo para dar início às atividades de 2021”, completa.

Além dos responsáveis pelo acompanhamento do projeto na escola que são: diretora da escola, Gisele Saade Neckel; Laís Camila K. C. Paes; Daiane Carina Becker e a professora de Ciências e Biologia, a Apremavi também tem participação no “Plantando o Futuro” por fazerem a distribuição de mudas e sementes.