Cidade, Destaque

Natacha Santos

Com o objetivo de agregar acadêmicos, professores e pesquisadores que atuem em pesquisas nas várias instituições de ensino, pesquisa e extensão de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, o Instituto Federal Catarinense (IFC) de Rio do Sul promove nesta semana a segunda edição do InterUni. A abertura do simpósio ocorreu ontem e o evento segue aberto à comunidade até sexta-feira.

O simpósio tem o intuito de promover um amplo debate sobre as possibilidades de cooperação e desenvolvimento de projetos de pesquisa, ensino e extensão conjuntos no Brasil e nos países parceiros, como Alemanha e Estados Unidos. O professor Dominikus Kittermann, da Alemanha, foi o primeiro a palestrar ontem. Ele é da área de fruticultura e disse que o Brasil é um país muito interessante por ser um grande produtor de frutas. “Para os estudantes é muito interessante fazer um intercâmbio para ter a gente aqui, como também para termos esses estudantes lá. Por isso é importante ter vontade de fazer esse intercâmbio”, disse.

A estudante Camila Lenz Santos está concluindo o curso de Ciências da Computação e também está acompanhando as palestras. “É uma ótima oportunidade de aprender um pouco sobre outro país e também ver as possibilidades de fazer intercâmbio. Além de trazer o conhecimento técnico, traz o conhecimento cultural do idioma que também é um grande acréscimo para a vida acadêmica”, afirmou.

O coordenador do curso de Ciências da Computação no Campus Rio do Sul, Fabio Alexandrini, explica que o InterUni é uma tentativa de internacionalização dos Institutos Federais, das universidades e centros universitários da região do Alto Vale do Itajaí. “Nós estamos na segunda edição, no ano passado nós fizemos ele mais focado com a Europa, trazendo palestrantes da Alemanha e outros países. Mas, esse ano nós expandimos além da Europa para a América do Norte, então nós teremos três pessoas da Europa e uma dos Estados Unidos”, destacou. O foco, segundo ele, é trazer professores e pesquisadores de outros países para apresentar o que eles têm de cooperação. “Como existe o incentivo do Governo Federal para que os alunos possam ir através do Ciências Sem Fronteiras estudar em outros países, nós agora queremos intensificar a cooperação em projetos em conjunto. O assunto desse ano está entre a informática e agricultura, que é a essência do Instituto Federal”, acrescentou.

A programação do simpósio segue hoje com a palestra do Ph.D Todd Cotton, dos Estados Unidos. Ele vai apresentar os acordos de colaboração com a área de informática no Colorado. Na quarta-feira de manhã a palestra será com o professor Jeison Isair Schneider, que vai falar sobre a sua experiência no Vale do Silício, que fica na Califórnia. Na parte da tarde o professor Dominikus vai fazer uma palestra específica para quem está estudando Agronomia.

Já na quinta-feira, o coordenador participa de um encontro em Blumenau na Câmara de Cooperação Brasil-Alemanha. “Vamos falar sobre o ensino da língua alemã e das cooperações que podemos fazer entre Brasil e Alemanha. E, para concluir, na sexta-feira nós vamos ter um dia apenas sobre cooperação e formas de financiamento”, ressaltou Alexandrini.

O evento conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (Unidavi).