Alto Vale
Foto: Helena Marquardt

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

O ex-prefeito de Agronômica por dois mandatos, José Ercolino Menegatti, foi confirmado em convenção do partido para encabeçar a chapa pura majoritária do MDB e que também terá apoio do PL. Em entrevista sobre a candidatura ao DAV, ele falou da necessidade de uma gestão com pulso firme para tomar decisões e da necessidade de retomar o diálogo e ouvir a comunidade.

O médico veterinário, que é servidor de carreira da Cidasc, conta que sempre esteve envolvido na política e decidiu disputar mais uma eleição após votação no sábado (12) e convite dos militantes. Neste ano ele terá como candidato a vice, o vereador e presidente do MDB, João Almir Alexandre. “Iniciamos agora mais uma caminhada para que Agronômica volte a crescer e se desenvolver economicamente”, afirma.

Menegatti diz que a cidade não precisa de renovação política e sim de uma reconquista já que segundo ele, o município vinha avançando nos últimos anos, mas na atual gestão acabou ficando estagnado. “A gente estando de fora enxerga a administração com um outro olhar e vejo que atualmente no Executivo falta punho de gestor, de tomada de decisão e projetos para o município”, opina.

Outro ponto questionado pelo candidato é a falta de diálogo com a população, que segundo ele não estaria sendo consultada sobre as prioridades do governo. “É lógico que sempre há diferenças entre uma e outra administração, mas acredito que o Poder Executivo tem que ir de encontro aos anseios da sociedade, promover o diálogo para haver um entendimento. Não dá para esperar que cidadão venha até o gabinete do prefeito para pedir uma melhoria. A equipe de governo tem que consultar todos os segmentos da sociedade para que o trabalho tenha realmente uma eficácia. É preciso ter empatia e tenho certeza que tenho experiência para fazer novamente um bom governo”, comenta.

Prioridade para Saúde e Agricultura

Questionado sobre possíveis ações de governo caso fosse eleito ele comenta que a agricultura seria uma das prioridades de sua gestão. “A agricultura representa mais de 50% da economia e o restante vem da indústria e do comércio. E para que tenhamos agricultores cada vez mais capacitados é preciso ter uma boa educação”, revela.

Além da agricultura ele afirma que outra área prioritária, como não poderia ser diferente, é a saúde. “Embora estejamos próximos a cidade polo que é Rio do Sul que atende em sua maioria as especialidades, entendemos que precisamos melhorar e isso deve começar pela Saúde Básica. Temos que ter uma saúde básica de excelência e buscar soluções para os problemas que hoje o serviço público tem”, conclui.