Cidade

Jorge Matias

 

A penúltima data comemorativa do ano acontece amanhã (12) quando é celebrado o Dia das crianças e os lojistas de Rio do Sul estão com as vitrines preparadas para receber o público e garantir boas vendas de última hora e a expectativa na cidade é bastante positiva.O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Rio do Sul, Daniel Emílio Tschumi, explica que o dia 12 desse ano caiu no feriado, entretanto, foi decidido em reunião que o comércio estaria aberto nesta data. Ele esclarece que a adesão dos comércios filiados a CDL não é obrigatória, mas que quem abrir os estabelecimentos deve fazer muitas vendas. “A expectativa de acréscimo nas vendas a nível nacional é de 3%, mas aqui em Rio do Sul tende a ser sempre um pouco mais elevado e a grande maioria optou por abrir o comércio”, comenta.

 

E mesmo em um momento em que muitas famílias passam por dificuldades financeiras, a maioria dos pais acaba comprando ao menos uma lembrança para os pequenos. Nesta quinta-feira (10), Magda Becker Radatz, de 42 anos, procurava presentes para as filhas e os sobrinhos em uma loja do centro da cidade. Ela disse que os preços não mudaram muito com relação ao ano passado, entretanto há uma diferença grande de preço entres os produtos de primeira e segunda linha. “Tem brinquedos que deveriam ser mais acessíveis, porque as crianças brincam hoje e amanhã já estão lançando uma nova linha, e a crianças sempre querem o último lançamento”, disse ela.

 

O caixa de uma loja de variedades, Silas Ferreira, de 33 anos, comenta que tem percebido que já faz tempo que a venda um produto específico não se destaca, devido a quantidade de lançamentos simultâneos. “É bem variado, hoje o mercado de brinquedo tudo é novidade e tudo vende, de algum jeito”, comentou.
Preferência por
brinquedos e roupas

 

De acordo com a pesquisa realizada pela Fecomércio de Santa Catarina em sete cidades, no que se refere a preferência, brinquedos (52,0%) e roupas (32,9%) lideram a lista de compras. A pesquisa ainda aponta que as compras devem ser feitas à vista em dinheiro (64,1%), parceladas no cartão de crédito (14,8%) e no cartão de débito (8,6%). Para tristeza de uns e alegria de outros, o levantamento confirmou ainda que 72,3% dos adultos afirmaram que os presenteados não vão acompanhar as compras este ano.