Alto Vale
Arquivo/DAV

 

Por causa de falhas no Sistema de Regulação (Sisreg) que vêm sendo registradas desde o ano passado, usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) do Alto Vale e de todo o estado tem enfrentado dificuldades para o agendamento de exames, consultas especializadas e cirurgias. Em José Boiteux por exemplo, a prefeitura chegou a emitir um comunicado pedindo a compreensão da população.

 

O Sisreg é o sistema on-line do Ministério da Saúde, criado para o gerenciamento de todo complexo regulatório, desde a rede de Atenção Básica até a internação hospitalar, mas acaba tendo regulações estaduais e macrorregionais com base em critérios de classificação por prioridade ou ordem cronológica, de acordo com as cotas disponíveis para cada unidade de saúde.

 

Segundo o presidente do Colegiado Intergestores Regionais do Alto Vale, Simão Hasckel, em Santa Catarina o problema ocorre por conta de uma atualização.

“O governo está fazendo uma atualização então toda a secretaria está tendo dificuldade para a marcação até porque eles estão remodelando o plano operacional da rede hospitalar e isso está gerando filas”, esclarece.

 

Ele comenta que em alguns momentos o sistema até funciona, mas não em sua totalidade.

“Agora estamos conseguindo lançar, mas não conseguimos ver em que posição a pessoa está na fila. Então tem hora que o sistema sai do ar e não sabemos se a pessoa foi cadastrada ou não, temos essa dificuldade sim”, completa.

 

Questionado se há uma previsão para que tudo seja resolvido e volte à normalidade, Simão explica que a Secretaria de Estado da Saúde não deu um prazo. “Muitas pessoas ainda estão de férias e a parte técnica está trabalhando para desenvolver essa nova ferramenta de trabalho, mas acredito que se os secretários ligassem nessa pasta da regulação o Estado poderia agilizar e informar melhor o que está ocorrendo”, disse.

 

De acordo com o diretor de Saúde de José Boiteux, Amarildo Moser, na cidade mais de 400 pessoas chegaram a aguardar atualização do sistema para consultas e exames e nesse momento o número é de 250.

“Estamos atualizando quando dá com muita lentidão, mas as vezes a pessoa vem do interior, precisa aguardar horas ou até é obrigada a voltar outro dia, o que causa um desconforto muito grande”, completou.

 

Ele diz que entrou em contato com a Secretaria de Estado da Saúde, mas foi informado que o problema seria nacional e agora aguarda um posicionamento do Governo Federal.

“O sistema ficou fora do ar desde a quarta-feira passada. Ele está com lentidão e inoperância e pedimos desculpas a todos os munícipes. O Sisreg é gerido pelo Ministério da Saúde do Governo Federal que se manifestou através de um comunicado onde relata falhas e diz que procura a solução dos problemas, mas pedimos a compreensão da população que busca e aguarda atendimento especializado como exames e consultas, pois a única forma de acessar o Sistema Único de Saúde é através do Sisreg. Não temos o que fazer a não ser aguardar”, finaliza.

Helena Marquardt