Alto Vale
Foto: Lucas Fasch

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

Que o turismo rural vem ganhando cada vez mais espaço, sobretudo durante a pandemia, não é novidade e já existem pessoas até deixando o agito da cidade para viver no sossego do campo. É o caso da Sandra Tambosi que trocou a propriedade em Navegantes por um sítio em Rio do Campo, no Alto Vale, para investir no turismo. Com a ajuda de amigos, ela vai construir dois chalés com vista para um dos pontos mais bonitos do município, a Cachoeira da Varaneira.

Sandra não conhecia a cidade de Rio do Campo, mas resolveu visitar a propriedade após ver o anúncio de um sítio que estava à venda no município. Ela relata que a princípio não havia gostado, mas quando avistou a cachoeira da Varaneira nos fundos do terreno ficou encantada e não pensou duas vezes.

Ela conta que a decisão veio acompanhada das dificuldades para viver na cidade e que jamais havia pensado no turismo rural como uma forma de renda. “Nunca pensei em investir no turismo rural, mas quando vi a cachoeira veio a vontade de investir. Ao passar os dias fui conhecendo também outros locais na cidade que são lindos em relação à natureza, cachoeiras, cânions, gruta, tudo muito lindo. Então começamos a alugar um galpão para camping e agora o projeto é aumentar”, conta.

Por conta do clima de inverno, o movimento no camping ao lado da cachoeira está mais baixo nesta época e a situação financeira de Sandra e da família não permite investir muito de uma vez, mesmo assim, ela garantiu a construção de pelo menos dois chalés no local através de um patrocínio de duas empresas da cidade.

“O nosso projeto é fazer chalés, restaurante, piscina, uma área de lazer, mas a nossa situação financeira não nos permite começar já. No entanto temos dois patrocinadores o Licor Artesanal Ottobach e Marcenaria Otobach e Madeiras Granja para dois chalés e esperamos deixar esses dois prontos em breve, mas ainda não temos previsão de data por enquanto”, explica.

Sandra explica que os patrocinadores foram os primeiros amigos que fizeram na cidade e que por acreditarem no sonho da família resolveram ajudar. “As empresas trabalham com vendas de itens artesanais e acreditam que o turismo vai trazer um retorno para elas também, pelo fato dos turistas já estarem comprando delas. Não querem nada em troca, apenas ajudar a iniciar o nosso sonho. Algo surreal porque nesse mundo que a gente vive é difícil ver isso acontecer”, pontuou.

Uma das patrocinadoras do projeto é a Lucilene Otto, ela conta que mora próximo à cachoeira e acredita no potencial turístico da cidade, sobretudo como forma de renda para os moradores. “É um local único aqui em Santa Catarina. Por esse motivo e vendo a vontade dos proprietários do terreno transformar o sítio em um ponto turístico, a gente resolveu ajudar a realizar o sonho deles. Além disso, isso também vai fazer com que os nossos produtos, o licor e a marcenaria, móveis rústicos, sejam mais vendidos. A nossa comunidade é um pouco distante do centro da cidade e é de agricultores que cultivam o fumo. Nós poderíamos modificar essa cultura do fumo e cada um poderia ganhar seu dinheiro de forma diferente, sem utilização de agrotóxicos e com um trabalho mais leve. Todos iriam se beneficiar”, avalia.

No momento, o local conta com uma estrutura para acampamentos e já recebeu turistas de todo o estado como Rio do Sul, Taió, Vitor Meireles, Santa Terezinha, Blumenau, Itapema, Navegantes e Mafra. “Para ir até o local é fácil, temos um espaço lindo para ficar, galpão, banheiro e a gente aluga para acampamento. Além disso, o diferencial é a acessibilidade permitindo que crianças e cadeirantes possam visitar o local.Também fizemos um balanço bem legal para as pessoas baterem fotos bonitas e curtirem com os amigos e família”.

Apesar de os chalés ainda não estarem prontos, a intenção é terminar o projeto e permitir que pequenos empreendedores possam vender seus produtos para os visitantes. “O valor a ser investido deve ser bem alto e como essa iniciativa deve trazer muitos turistas vamos querer ajudar também outras pessoas da cidade para que possam vender seus produtos”, completa.

Para fazer uma reserva para o acampamento na Cachoeira da Varaneira basta entrar em contato com a Sandra através do whatsapp (47) 99674-9922 e ver as opções e datas disponíveis.