Cidade

Reportagem: Gabriela Szenczuk/DAV

Na madrugada do dia 1º de julho, dia em que o ciclone extratropical atingiu Santa Catarina e os municípios do Alto Vale, um incêndio também destruiu quatro residências no bairro Canta Galo, em Rio do Sul. As causas ainda são investigadas pelo Corpo de Bombeiros, mas os moradores perderam tudo que tinham e agora pedem ajuda à comunidade.

Segundo informações da assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros, que foi acionado pelos moradores, ao chegar no local, três residências estavam tomadas pelas chamas e em uma o fogo estava iniciando pela parede e pelo teto. Depois de já iniciado o combate, o incêndio foi totalmente controlado após três horas de atendimento por cinco bombeiros militares e quatro comunitários.

Com as residências danificadas, o local foi deixado aos cuidados dos proprietários. Uma delas é a costureira Aline Graziela Domingos, que morava sozinha com a filha de um ano de idade e não quis se manifestar por ainda estar em choque com a situação. Entretanto, o primo dela, Ruan Felipe Bruno, relata que a mulher saiu desesperada de dentro de casa apenas com a roupa do corpo e a criança. Depois de perder tudo, a família pede doações de móveis, roupas, alimentos, utensílios domésticos, produtos de limpeza, fraldas e quem quiser, também pode ajudar com dinheiro entrando em contato com ele através do telefone (47) 8885-0786, pois a prima perdeu o celular no incêndio.

Outra vítima do incêndio foi Suélen Faria Neves, que morava em uma das casas com o marido Herbert. Apesar do susto, o casal, com a ajuda do proprietário da casa, conseguiu recuperar a maioria dos móveis e utensílios domésticos e o que perderam, já receberam em doações. Ainda assim, ela relembra o medo que passou naquele momento. “Graças a Deus saímos todos com vida, mas vai levar tempo para se recuperar do susto, pois as cenas eram de filme de terror”, conta.

Daniel Rodrigues da Rosa também era um dos moradores das casas atingidas. Ele residia com a mãe e o irmão. Ele trabalha na empresa Pamplona Alimentos, o irmão é funcionário da Área Azul, da Apae, e a mãe é colaboradora do Hospital Regional do Alto Vale. “Foi tudo muito rápido, em questão de instantes. Infelizmente naquela madrugada devastou tudo e não recuperamos nada. Tentamos apagar o fogo, mas chegou um momento em que a gente só queria se salvar. Foi uma situação muito difícil e muito triste”, relata. Ele agradece a todos que estão fazendo suas doações, mas pede ajuda à população que possa apoiar de alguma forma, doando algum utensílio, móvel, eletrodomésticos, roupas, toalhas, roupas de cama ou auxílio financeiro. Caso haja interesse em ajudar, basta entrar em contato com Daniel através do telefone (47) 9 8800-8514.

De acordo com o 2° tenente Bombeiro Militar, Juliano Antonio Vieira, as causas do incêndio ainda estão sendo investigadas pelo Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC). “A investigação da ocorrência ainda está sendo realizada e estamos em fase de elaboração do documento. Apesar de haver uma indicação de que o incêndio começou por uma vela acesa em uma das residências, ainda não chegamos a uma conclusão,” esclarece.