Política
Foto: Divulgação

Cláudia Pletsch/DAV

Um Projeto de Lei que visa a inclusão de pessoas que sofrem com fibromialgia em filas e vagas de estacionamento preferenciais está sendo discutido pelo Legislativo de Taió e já foi aprovado por unanimidade na primeira votação nessa semana. A proposta apresentada pelo vereador Aroldo Peicher Júnior (MDB), mais conhecido como Peixinho, também prevê a inclusão de quem sofre com a síndrome em atendimentos preferenciais para procedimentos de fisioterapia.

Sendo aprovado em segunda votação e posteriormente pelo Executivo, a proposta começará a ser colocada em prática e deve beneficiar uma demanda de pessoas que convivem com a doença crônica que provoca dores por todo o corpo, inclusive nos músculos.

O vereador autor da proposta, explica que o texto do Projeto prevê a inclusão dos pacientes em filas especiais de empresas públicas e privadas, além de empresas concessionárias de serviços públicos. As empresas comerciais que recebem pagamentos de contas e bancos também estão inclusas. O mesmo vale para vagas de estacionamento já destinadas aos idosos, gestantes e deficientes e para atendimentos preferenciais em fisioterapia, junto a secretaria de saúde do município. “Nós já temos em Taió uma lei parecida para os autistas, que dá preferência em filas e vagas de estacionamento por exemplo. E além disso nesse projeto relacionado a fibromialgia, a gente conseguiu incluir a preferência para tratamentos de fisioterapia através da rede pública de saúde. Essa questão da fisioterapia é algo muito importante pois é uma doença que atrofia muito a musculatura e esse tratamento acaba ajudando, mas é óbvio que tem que apresentar um laudo médico para comprovação”, avalia Peixinho.

O vereador explica ainda que no caso das vagas de estacionamento o cartão poderá ser solicitado junto ao Detran, e no caso dos atendimentos preferenciais na Saúde será necessária a apresentação do laudo médico que comprove a condição.

De acordo com Peixinho, um dos motivos pelos quais sentiu a necessidade da criação desse projeto é por já ter trabalhado na área da saúde, ele revela que depois da apresentação muitas pessoas que convivem com a síndrome acabaram o procurando. “Eu já trabalhei na área da saúde e vi isso como uma prioridade, depois da apresentação do projeto umas 15 a 20 pessoas me procuraram e disseram que sofriam com esse problema há algum tempo e ficaram felizes que foram lembradas. Foi perceptível que depois da apresentação do projeto as pessoas começaram a procurar, pois é uma doença bem sofrida e o maior problema que eu vejo é que as pessoas realmente precisam de fisioterapia, já temos esse serviço no sistema público, as pessoas com câncer já têm essa preferência, e agora com esse projeto quem tem fibromialgia também vai ter um olhar especial”, finaliza.

A fibromialgia

A síndrome da fibromialgia (FM) é uma síndrome clínica que gera dores no corpo todo, principalmente na musculatura. Junto com a dor, a fibromialgia cursa com sintomas de fadiga, sono (a pessoa já acorda cansada) e outros sintomas como alterações de memória e atenção, ansiedade, depressão e alterações intestinais. Uma característica da pessoa com FM é a grande sensibilidade ao toque e à compressão da musculatura pelo examinador ou por outras pessoas.

É um problema bastante comum, visto em pelo menos em 5% dos pacientes que vão a um consultório de Clínica Médica e em 10 a 15% dos pacientes que vão a um consultório de Reumatologia.