Cidade

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

A partir dessa quarta-feira (24) a prefeitura de Rio do Sul vai intensificar a fiscalização das normas de combate à pandemia do novo coronavírus. Em uma transmissão ao vivo em uma rede social o prefeito José Thomé disse que na cidade a “luz amarela está acesa” e anunciou um novo decreto que dará poder de fiscalização para a Guarda Municipal, Vigilância Sanitária, Polícia Militar, Bombeiros e fiscais de postura.

Na declaração ele citou como exemplo municípios como Balneário Camboriú, Itajaí e Chapecó que cogitam um segundo fechamento de quase todos os estabelecimentos devido ao aumento do número de casos. “Sou completamente contra e vou trabalhar em conjunto com a população. Só que não adianta a população seguir na contramão e lotar bares, restaurantes, eventos fechados e fazer aglomeração. Estamos em meio a pandemia”, alertou
Na live, Thomé declarou que é a favor da livre iniciativa e o movimento econômico funcionando, mas é preciso respeitar as regras. Desta forma os cinco órgãos estarão habilitadas por um decreto municipal, a fiscalizar e agir em estabelecimentos em que o proprietário ou mesmo os clientes estejam descumprindo as regras. “Várias fotos e vídeos chegaram para mim de pessoas na parte externa dos estabelecimentos que já estavam com sua capacidade de 50%, que é o que prevê o decreto do governador, e estavam no maior aglomero, não respeitando o distanciamento social, todo mundo fazendo o maior ‘fuzuê’ junto, o que é contaminação comunitária violentíssima e nos traz grandes problemas”, disse.

O novo decreto entra em vigor nesta quarta-feira e reforça a fiscalização que até então vinha sendo feita, mas não de forma tão rigorosa por falta de pessoal. “Sabemos que gradativamente dentro do que é possível em uma pandemia, a vida vem voltando a uma certa normalidade e com isso algumas vezes as pessoas se esquecem do coronavírus e das medidas de segurança”, completou o procurador do município Jairo Welmuth.

Atualmente o número de casos em Rio do Sul, que era de 122 até a noite de terça-feira (23), era considerado controlado, mas se houver aumento significativo, medidas mais rigorosas poderão ser anunciadas. “Vai ter ostensividade na rua, vai ter estabelecimento sendo abordado e vai ter cidadão que não respeita sendo abordado também”, completou o prefeito.

O comandante da Guarda Municipal, Robson Ferreira, revela que o órgão tem recebido muitas denúncias de irregularidades e afirma que quem descumpre as medidas de segurança está cometendo crime contra a saúde pública. “Pode ser que as coisas voltem a fechar porque a própria população não está cumprindo sua parte. Estamos orientando sobre essa ação e essa fiscalização antecipadamente para que não haja aglomeração e esperamos a colaboração de toda a população e dos estabelecimentos”, citou.