Cidade
Foto: Arthur Hoffmann - FMD nos Bairros

Após um ano cheio de desafios e projetos realizados, a equipe da Fundação Municipal de Desportos (FMD) de Rio do Sul se reuniu nesta segunda-feira (11) para planejar as ações de 2018. Entre os principais objetivos está a ampliação dos projetos comunitários, captação de recursos e ampliação das escolinhas e modalidades, além de buscar resultados mais positivos nas competições Fesporte, como Olesc, Joguinhos Abertos e Jogos Abertos de Santa Catarina.

Além de manter o que foi feito em 2017, como a realização de campeonatos municipais, a FMD vai continuar trabalhando no fortalecimento do esporte de base, especialmente nas escolinhas de desenvolvimento esportivo. A proposta é aumentar o número de bairros atendidos. Em números, são 1.100 crianças nas escolinhas da Fundação em diversas modalidades.

“Foi um ano cheio de conquistas em que implantamos nossa filosofia de trabalho e definimos um planejamento para os próximos anos, sempre levando o esporte para as comunidades e revelando mais atletas, trazendo as crianças para perto do esporte. Trabalhamos incansavelmente em diversas frentes e resolvemos muitas coisas, porém, ainda temos que realizar diversas ações que temos planejado. Vamos ter uma temporada bem agitada, mas que novamente será movimentada para nosso esporte”, comentou o superintendente da FMD, Jeberton Fermino.

Uma das propostas é continuar trabalhando no cadastro de projetos. Fermino explicou que por meio destas propostas encaminhadas ao Governo Federal e Estadual é possível que algum recurso seja destinado para o esporte de Rio do Sul, como foi o caso do projeto da Olimpíada Estudantil Catarinense (Olesc), onde o município recebeu aproximadamente R$ 350 mil para investir em melhorias.

“Nesse primeiro ano cadastramos uma série de projetos. O prefeito José Thomé esteve em Brasília, no Ministério do Esporte, em algumas oportunidades, acompanhando como andam algumas situações. Já tivemos sinalizações, mas precisamos aguardar nesses casos. Acredito que uma hora podemos ser beneficiados com algo”, comentou.

Além dos projetos cadastrados, a Fundação busca junto ao Ministério Público de Santa Catarina recursos para aquisição de um novo veículo. A proposta é uma das prioridades de 2018, já que a FMD depende de outras Secretarias para realizar o transporte dos atletas para competições. Salários de técnicos, bolsitas e coordenadores de modalidades também estarão disponíveis no Portal da Transparência de Rio do Sul. A iniciativa inédita acontece a partir de janeiro e todos os valores utilizados pela Fundação poderão ser consultados no site da Prefeitura de Rio do Sul.

“Precisamos ser transparentes com o gasto público e todas as pessoas vão poder acessar e saber como estamos trabalhando e aplicando nossos recursos. Será uma ferramenta fundamental para a população acompanhar nossas ações”, destacou Fermino.

Competições tradicionais também continuam sendo realizadas pela Fundação em 2018, como o Campeonato Municipal de Bocha, Olimbairros e Campeonato Municipal de Futebol. A ideia é ampliar todas elas, tendo mais equipes participantes e maior premiação. A grande novidade será o Campeonato Municipal de Futsal, que será realizado no segundo semestre. Além disso, a Fundação atuará nas etapas municipais dos Jogos Escolares 12-14 e 15-17 anos. Outro projeto é atuar na organização de competições, como uma corrida de rua e campeonato de basquete 3×3.

“Além de manter o que realizamos a ideia é a Fundação realizar eventos, mostrando toda nossa estrutura e potencial para sediar e organizar grandes competições. Além disso, conseguimos aproximar as pessoas da FMD e mostrar o trabalho que estamos realizando. Já o Campeonato Municipal de Futsal era uma demanda que tínhamos e seguindo nosso planejamento resolvemos trazer novamente essa competição”, comentou o diretor de Eventos da FMD, Graciano Ledra.

Os eventos comunitários também continuam sendo realizados em parcerias, como é o caso do FMD nos Bairros, que envolve crianças de diversos polos esportivos da Fundação. “Queremos lançar também o FMD nas Férias colocando as crianças para praticar esporte logo no começo do ano, sendo também esse projeto um instrumento de revelação de atletas para as modalidades”.

Assim como ocorreu em 2017, atletas de rendimento da Fundação, como Alair Xavier, Edemilson Gutz dos Santos, Vitória Claudino, Lucas Oliveira, Vanessa Feliciano e Bruno Becker da Silva continuam recebendo apoio. Outros nomes voltam para a capital do Alto Vale, entre eles Felipe Lorenzon do lançamento do disco, que estava em São Paulo, mas é formado em Rio do Sul e Anne Caroline da Silva, do arremesso do peso, que estava sem competir.

Novas modalidades também devem fazer parte do quadro da Fundação, como é o caso do handebol. As outras 17 modalidades também tiveram seu investimento ampliado, dando mais condições de trabalho aos técnicos e coordenadores. Uma das grandes novidades é o ciclismo, onde Rio do Sul terá uma equipe com 15 a 20 atletas treinando para os Jogos Abertos de Santa Catarina. O município terá atletas em todas as provas, como marathon, estrada, cross country, downhill e bicicross. Inicialmente alguns atletas serão bolsistas da Fundação e o investimento será concentrado na ajuda de custo para disputas da Federação Catarinense de Ciclismo. O projeto vôlei câmbio, que envolve idosos de todo o município, também será ampliado e a partir de 2018 estará nos bairros.

“Essas novas modalidades mostram o potencial que nosso município tem. Acredito que esse trabalho de fortalecimento terá resultado em alguns anos, sendo fundamental para nosso esporte. O ciclismo, por exemplo, não ganhava uma medalha em Jogos Abertos desde 2007 e neste ano conseguimos isso, então acredito que podemos evoluir ainda”, ressaltou o diretor Técnico da FMD, Sérgio Luis Schlemper.

As estruturas esportivas também continuam recebendo melhorias e manutenção, como aconteceu em 2017. No próximo ano isso deve continuar acontecendo com os recursos que a Fundação recebe para a etapa estadual dos Jogos de Integração da Terceira Idade (Jasti), que acontece em maio. Assim como ocorreu neste ano, todo montante recebido deve ser investido em melhorias das estruturas esportivas.

“Investimos muito neste ano em reparos dos nossos locais de competição e vamos seguir dessa forma, sempre melhorando esses espaços com os recursos que vamos recebendo. Dessa forma, no futuro, teremos uma economia porque não precisaremos mexer mais nesses espaços”, explicou o superintendente.

Materiais e equipamentos também continuam a ser adquiridos, como ocorreu em 2017. No total, mais de R$ 65 mil foram investidos em maquinário, computadores, materiais de trabalho e utensílios.

Bolsa pódio também será aplicado

Assim como o bolsa atleta, que é um incentivo financeiro da FMD para atletas do município, em 2018, a Fundação irá destinar boa parte dos seus recursos para atletas que foram medalhistas dos Joguinhos Abertos, Olesc e Jogos Abertos de Santa Catarina por meio do Bolsa pódio. Será a primeira vez que o projeto será executado em sua totalidade, auxiliando mais de 30 atletas do município que tiveram bom desempenho nas competições Fesporte.

“Esse era um grande sonho que tínhamos de valorizar os atletas do nosso município financeiramente. É uma forma de manter eles em Rio do Sul, treinando e trabalhando por suas modalidades. Ainda estamos longe do ideal, mas demos um grande passo para um trabalho mais sério e comprometido com o rendimento dos nossos atletas”, destacou o superintendente.

No total, são 60 atletas beneficiados financeiramente todo mês pela Fundação.

Ações importantes foram realizadas em 2017

Além da diminuição de cargos comissionados na reforma administrativa no início do ano, a Fundação também definiu que apenas profissionais formados em educação física podem assumir cargos de direção, o que segundo Fermino moderniza a gestão da pasta. “Isso é fundamental para a valorização e profissionalização do esporte rio-sulense. Precisamos colocar pessoas capacitadas e que entendam dessa área”, ressaltou.

Outra ferramenta que foi criada para ajudar os atletas do município foi o Projeto Passe Atleta, que consistia na distribuição de passes municipais para o transporte coletivo. O projeto foi uma forma de continuar incentivando os atletas das escolinhas a participarem dos treinos de rendimento.

Além das novas modalidades que a Fundação resgatou em 2017, como o futsal feminino e bicicross, outra grande conquista do ano foi a implantação das escolinhas nos bairros. William Lembeck e Jorge Batista da Silva, o Valadares, foram contratados para atuar em diversos bairros com escolinhas de futebol. São oito polos que foram criados e serão mantidos.