Alto Vale

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

A companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) detectou um caso de raiva herbívora em Lontras. A égua infectada estava na localidade de Alto Cutias e acabou morrendo. Em três anos esse é o segundo caso registrado na região e o órgão faz um alerta sobre a importância da vacinação dos animais já que a doença também pode contaminar humanos.

O médico veterinário, Fabricio Dias Costa, conta que os primeiros sintomas foram identificados pelo proprietário do animal que chamou um veterinário particular para fazer uma avaliação. O profissional no exame clínico constatou os sinais nervosos comuns da doença e então notificou a Cidasc de Rio do Sul. “O animal estava com dificuldade locomotora, mudança de comportamento, emagrecimento progressivo e tinha indicativo de sugadura de morcego hematófago, então o veterinário entrou em contato com a Cidasc de Rio do Sul e fomos até o local”.

Fabrício relata que quatro dias após a notificação a égua acabou morrendo e então eles fizeram a coleta do material do Sistema Nervoso Central, que foi enviado para análise no laboratório da Cidasc. O resultado foi positivo para raiva herbívora, por isso toda a comunidade, numa área de pelo menos quatro quilômetros, deve ficar em alerta.

“A raiva como uma zoonose pode ser transmissível ao ser humano. Ela é uma doença viral altamente contagiosa em mamíferos e o vírus tem uma predileção pela saliva, então o morcego hematófago como tem o hábito de sugar o sangue acaba transmitindo através da mordida ou arranhão. Geralmente os infectados são bovinos e equinos e as pessoas que têm contato com esses animais também podem ser infectadas. Se houver acidentes com morcegos ou animais com sintomas de raivaa recomendação é procurar imediatamente a Secretaria da Saúde”, destaca.

Fabricio orienta que quando um animal apresentar sintomas da doença, o caso já deve ser avaliado por um profissional e verificar a possibilidade de infecção. Sempre que houver suspeita da doença a Cidasc deve ser notificada. Em três anos foram dois casos confirmados, mas outros podem ter ocorrido e não terem sido informados e contabilizados, ou seja pode haver uma subnotificação.

Importância da vacinação dos animais

Diante da detecção do novo caso de raiva em Lontras a Cidasc ressalta ainda a importância dos animais serem vacinados, sendo prioritariamente animais como bovinos e equinos. Cabras e ovelhas também poderão ser vacinados.

A imunização deve acontecer aos 90 dias de vida com mais um reforço em 30 dias e outro em 180 dias e depois disso a dose deve ser aplicada anualmente. Já na área de quatro quilômetros de onde o foco foi encontrado a vacinação será obrigatória e o órgão está orientando os produtores rurais. “A vacinação é a única forma de prevenção. Alertamos também que as pessoas evitem contato com morcegos porque eles podem estar contaminados”, finaliza.

Esclarecimento de dúvidas ou notificações de casos suspeitos podem ser feitos pelo telefone (48) 991517005.