Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

O Hospital de Agrolândia, Fundação Hospitalar Alex Krieser, precisou desde a semana passada, começar a afastar alguns profissionais em razão da Covid-19. Médicos e parte da equipe de enfermagem ainda cumprem isolamento e devem voltar conforme recomendação das autoridades de Saúde. Enquanto isso, instituição fez a substituição para conseguir prestar os serviços normalmente.

Ao todo 13 profissionais foram afastados. O diretor administrativo da instituição, Anderson Paulo Fuechter conta que o início dos diagnósticos foi na semana passada e que desde então outras pessoas passaram a ter sintomas e começaram a ser testadas e isoladas também.

“Nós tivemos um início de casos positivos dentro da equipe do hospital na semana anterior. Onde na terça-feira passada afastamos os profissionais e isso acabou atingindo outros profissionais, que também tiveram que estar se afastando do trabalho. Mas a situação, aos poucos, volta a normalizar. Hoje já estamos com alguns profissionais saindo do isolamento, amanhã também e no total de oito contaminados ficaremos com apenas três afastados no restante da semana”, comenta.

Em relação à escala médica, além das oito pessoas da equipe de enfermagem, cinco médicos também contraíram a doença, mas foram substituídos para manter o funcionamento do hospital.

“Tivemos cinco profissionais médicos que estão afastados e que não vão poder estar cumprindo a sua escala de plantão nos próximos dias, mas tudo isso já temos trabalhado para não ocorrer a falta da prestação de serviço”, pontuou.

Anderson ainda comenta que no início desta semana, das 13 horas do domingo (16) até 7 horas da segunda-feira (17) o hospital não prestou serviços , visto que toda a equipe estava com sintomas e precisou ser testada. Após esse período a instituição voltou a atender normalmente, com segurança.

“Ocorreu que toda a equipe estava com sintomas, então testamos esses profissionais e não tivemos tempo hábil para fazer a substituição e na segunda-feira ficamos sem prestação de serviço. No dia orientamos para que aqueles que pertencem ao município de Atalanta buscassem serviço no Hospital Bom Jesus, e os de Agrolândia para que buscassem o serviço no Hospital Regional de Rio do Sul.”, explica.

Ele ainda fala sobre as dificuldades que a instituição pode passar no futuro, visto que nem todos os funcionários foram contaminados nessa nova onda e, portanto, ainda correm o risco.

“Estamos suscetíveis ainda porque nem todos os funcionários foram contaminados, mas trabalhamos um dia após o outro com as dificuldades diárias e vamos resolvendo a medida do possível, sempre atentos aos interesses e necessidades da população”, finaliza.