Alto Vale

A transferência de pacientes que dão entrada com a COVID-19 confirmada no Hospital Regional Alto Vale para Timbó, caso necessitem de internação, é uma orientação do governo do Estado. De acordo com o diretor técnico da instituição, médico Marcelo Vier Gambetta, logo no início da pandemia a Secretaria Estadual de Saúde optou pela implantação de seis hospitais de referência, como é o caso do OASE. Nenhum dos leitos de UTI reservados em Rio do Sul está ocupado e a situação nesta sexta-feira (29) está sob controle, com apenas dois pacientes suspeitos internados.

Gambetta explicou que a transferência para os hospitais de referência é no intuito de reunir os pacientes com diagnóstico em uma mesma instituição, reduzindo assim a possibilidade de contaminação intra-hospitalar, como seria o caso em Rio do Sul. O médico classificou a estratégia como interessante mediante a disponibilidade de vagas e transporte. “É preciso deixar claro que o nosso hospital não está se negando a receber essas pessoas, mas sim seguindo a orientação da secretaria, que a gente concorda por ser protetiva”.

Mesmo com o aumento de casos confirmados na região a situação no hospital está sob controle. Os leitos disponíveis na UTI reservados para o enfrentamento da COVD-19 estão desocupados. O quinto andar continua com a sua enfermaria desativada. “O nosso plano inicial foi manter os pacientes de forma individual no sétimo andar”. Gambetta explicou que caso o número de internações aumente, a estratégia muda para o isolamento de coorte, que é reunir no mesmo aposento de duas a quatro pessoas. “Neste caso os respiradores não são necessários”. “Na abertura de novos leitos de UTI aí sim dependeríamos”, complementou o diretor clínico.