Alto Vale

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

O Hospital Regional Alto Vale (HRAV) anunciou nesta quarta-feira (28) que decidiu manter até o dia 6 de novembro os 10 leitos da Unidade de Terapia Intensiva para Covid que poderiam ser fechados neste sábado. A direção da Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí (Fusavi) optou pela nova data em razão do Ministério da Saúde e outros órgãos estarem avaliando a necessidade de manutenção do espaço devido ao aumento de casos da doença. Já a Prefeitura de Rio do Sul contesta a data, já que segundo eles a habilitação valeria até o dia 12 de novembro.

O diretor-técnico do hospital, Marcelo Vier Gambetta, explica que o contrato inicial com a Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina e com o Ministério da Saúde previa o funcionamento apenas nos meses de agosto, setembro e outubro. “Então esse contrato encerra no sábado, dia 31 de outubro, mas o hospital optou por manter os leitos com recursos próprios até o dia 6 de novembro”, revela.

Segundo ele, este seria um tempo dado aos gestores da área para que os órgãos envolvidos definam se há necessidade ou não da manutenção da UTI para Covid. “Seria um tempo para eles definirem a necessidade ou não de prorrogação desses leitos tendo em vista o aumento do número de casos que o estado apresentou nos últimos dias”, completa.

Nesta quarta-feira a UTI contava com apenas um paciente com Covid internado, mas Gambetta explica que como a ala pode ser realmente fechada na próxima semana, o hospital já tenta encaminhar os infectados a outras unidades. “São pacientes que ficam internados por um período prolongado, em média três semanas de internamento. Então temos tentado transferir esses pacientes graves já nesse primeiro momento, porque se internarmos ele hoje, quando chegar dia 6 teremos que transferí-lo para outro serviço, então temos tentado fazer isso já. Não havendo disponibilidade de transferência o paciente é internado na nossa UTI e no dia 6 tentaremos vagas em outra instituição ou eventualmente usaríamos uma das nossas UTIs reguladas”, esclarece.

Segundo o HRAV, por um decreto do Governo do Estado o hospital é obrigado a reservar 10% das vagas de UTI para pacientes com Covid, o que no caso da instituição rio-sulense representa dois leitos. “Mas ter os 10 leitos funcionando sem aporte de recursos, do ponto de vista financeiro da instituição é impossível, porque a estrutura mesmo que esteja com baixa ocupação, tem um custo fixo elevado que não temos condições de manter. Então esperamos que uma reunião defina de quem é a responsabilidade financeira de manutenção e se há o interesse que a nossa UTI para Covid se mantenha funcionando ”, finaliza.

Prefeitura contesta data

Após o anúncio do HRAV, a Prefeitura de Rio do Sul contestou a data divulgada pelo hospital informando que o credenciamento valeria até o dia 12 de novembro que  a habilitação foi publicada no Diário Oficial da União apenas no dia