Cidade
Foto: Divulgação/Tirada antes da pandemia

Reporatgem: Cláudia Pletsch/DAV

O Instituto Federal Catarinense (IFC) de Rio do Sul foi motivo de orgulho para o Alto Vale, isso porque a escola recebeu o ouro na Awards of Excellence in the Chair Awards category, uma competição mundial que reúne escolas politécnicas de diversos países. A premiação máxima foi conquistada pelo melhor trabalho desenvolvido com estudantes de cursos técnicos e de graduação das Escolas e Institutos Politécnicos pelas ações de inovação e empreendedorismo.

O professor Fábio Alexandrini, que atuou na implantação da disciplina de Empreendedorismo no IFC conta que a matéria tem o objetivo de desenvolver nos alunos suas capacidades empreendedoras. “Durante a estruturação dos cursos no IFC foi proposta a implantação da disciplina de Empreendedorismo no último ano do curso de graduação e os conteúdos de mercado de trabalho incluindo opções de empreender na disciplina de Fundamentos da Computação. Com base nesta proposta as disciplinas foram trabalhadas para auxiliar os estudantes a descobrirem suas potencialidades empreendedoras. O projeto ajudou esses estudantes a desenvolverem seus negócios com empresas constituídas e outras em fase de incubação. Eles praticaram ainda participando de editais em busca de aprimorar suas ideias empreendedoras, como o Sinapse da Inovação de Santa Catarina. Dentre as ações que desenvolve-se na disciplina de Empreendedorismo estão a visita a empresas da região para conhecer as formas de gestão e apoio dos sistemas de informação nesse processo, mas principalmente os depoimentos dos empreendedores sobre sua trajetória de vida e sobre tudo o espírito empreendedor”, relata.

Fábio revela também que a vitória trouxe a confiança dos estudantes e dos professores sobre a importância do empreendedorismo em suas carreiras. Ele ressalta ainda que o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Incubadora GTEC (Unidavi) e da Prefeitura de Rio do Sul através do Centro de Inovação Norberto Frahm (Cinf) foi essencial para o sucesso do projeto. “Quando a Associação abriu o envio dos casos de sucesso em fevereiro nós enviamos a documentação que eles pediram, as cartas de apoio do Sebrae, a prefeitura representando o Centro de Inovação e o depoimento também de alunos que passaram por esse processo e depois de 10 anos de trabalho esse foi o resultado, ficamos com o ouro”, comemora.

Para conquistar o objetivo da excelência o professor comenta que diversas ações são realizadas diariamente, todos os anos os alunos visitam diferentes empresas do estado e até mesmo de outros estados do país para conversar com empreendedores e desenvolver o empreendedorismo dentro do Instituto. “Nós participamos de feiras e levamos os estudantes mais interessados em empreender para vivenciarem o dia no stand do IFC expondo seus trabalhos. Realizamos anualmente vistas a diferentes empresas no estado de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande Sul, bem como incubadoras, acelerados de negócios e Parques Tecnológicos. Também organizamos anualmente o Simpósio de Internacionalização dos Institutos e Universidades do Brasil, Américas e Europa (InterUni), para oportunizar aos alunos contato com professores e estudantes de outros países. Como resultado tivemos vários alunos que foram para o intercâmbio em países como a Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido, França e Austrália. Alguns desses montaram negócios para prestação de serviços nesses países, formando inicialmente o Micro Empreendedor Individual (MEI) e depois evoluindo para outras categorias empresariais”, finaliza.