Alto Vale
Foto: Divulgação

Santa Catarina sofre com a estiagem desde 2019 e embora tenha chovido em alguns períodos, outros são de muita seca, o que preocupa a população tanto do meio urbano quanto rural.  Em Imbuia, por exemplo, faltou água para atividades simples, como lavar louça, roupa e até no copo em alguns casos. Para solucionar esse problema, a administração fez a perfuração de um poço e mandou a água para análise, que felizmente poderá ser usada.

Na história da Casan de Imbuia, foi registrada a estiagem mais severa e prolongada dos últimos 50 anos. O cenário era devastador e o abastecimento foi racionado. Em 2021, assim como no ano passado, sem chuva significativa, a companhia precisará fazer manobras para minimizar o problema, pelo menos, por enquanto. O resultado obtido com a perfuração do poço no ano passado é a notícia mais aguardada pela população. A qualidade da água e o teste de vazão vão mudar a realidade do município com pouco mais de seis mil habitantes. E a Administração faz planos para expandir a rede.

O poço perfurado em julho de 2020 será um complemento à captação principal, localizada na comunidade de Samambaia, no córrego das Águas Cristalinas. “Recebemos agora em abril as análises da água. Como deu teor de ferro e manganês acima do permitido pela legislação, vai ser necessário passar pelo tratamento. Mas vamos entregar água potável aos imbuienses”, explica o gerente da companhia em Imbuia, Evanildo Soares.

Uma adutora de mil metros será construída para levar a água captada na rua Pedro Teixeira até a estação de tratamento. O gerente pela Casan de Imbuia explica que o poço não pode operar 24 horas por dia. Mesmo assim, será suficiente para não faltar água nas torneiras, principalmente no período de estiagem.

“Na estiagem do ano passado a vazão do córrego das Águas Cristalinas, caiu 2/3. Captávamos em média 32 m³/hora e baixou para 10³/hora. Com o poço vamos ter vazão de mais 21 m³/hora. O que significa que o poço vai suprir praticamente 50% do consumo”,destaca.

Com os novos investimentos, a Prefeitura de Imbuia se reuniu com os diretores da Casan para solicitar a ampliação da rede. De acordo com o prefeito Deny Scheidt, neste momento a prioridade é levar água para a comunidade de Samambaia, onde está sendo instalado o Cemitério Municipal, há três quilômetros do centro de Imbuia.

“A falta de água é um problema grave no nosso município. Vamos fazer um planejamento para expandir a rede de água para atender a demanda dos moradores da região. Nossa intenção é atender Samambaia nesse primeiro momento, depois Nova Alemanha”, destaca Deny.

Etapas de trabalho

Em 30 dias a Casan fará a entrega do material para a instalação do poço. Em junho também devem iniciar as obras da adutora, com um quilometro de extensão da rua Pedro Teixeira até a ETA. Após essa etapa, a companhia fará a instalação da bomba e do barrilete.

A previsão inicial é concluir as etapas de execução até o mês de setembro.