Alto Vale, Saúde

Reunidos na tarde desta quarta-feira (03) no gabinete do prefeito Almir Reni Guski (PSDB) estiveram os diretores do Vidas Instituto de Assistência à Saúde apresentando a metodologia que será utilizada para diagnosticar a Saúde de Taió. O termo “Saúde” nesse caso, envolve os serviços prestados por toda estrutura da Secretaria de Saúde como também do Hospital e Maternidade Dona Lisette. Coincidentemente, este ano será necessário realizar a Conferência Municipal de Saúde e o Plano Municipal de Saúde e, através do diagnóstico será possível extrair dados para o presente e futuro da pasta considerada mais importante pelos brasileiros conforme pesquisas.

Richard Choseki, diretor presidente do Instituto Vidas, disse que foi feita uma parceria com a UDESC para coleta de informações. Estas informações serão extraídas tanto dos colaboradores da Secretaria de Saúde e Hospital como também dos usuários da Atenção Básica, Pronto Atendimento, Média Complexidade, dentre outros. “Não viemos somente procurar erros, queremos também aprimorar o que está funcionando” explica Richard. “Iremos elaborar uma estratégia para a Saúde de Taió através de um planejamento real” complementa.

 

Qual a vocação deste Hospital?

Com o foco principal sendo o usuário, a palavra “vocacionar” será um dos focos do resultado da pesquisa para o Hospital e Maternidade Dona Lisette. O nome já diz Hospital e “Maternidade” Dona Lisette, está possivelmente será sua vocação. Contudo, palavras do próprio diretor presidente do Instituto Vidas, “Precisamos fazer mais com o mesmo recurso, necessitamos otimização. Acredito que conseguiremos realizar 50 cirurgias pelo SUS por mês sem mexer em nenhum recurso” explica.

O diretor Léo disse que a metodologia será do ciclo PDCA – Plan, Do, Check, Action. “Identificar o problema, estabelecer metas, analisar o fenômeno, analisar o processo (causa) e elaborar o plano de ação”. Conforme ele, “Esse instrumento evitará que o gestor erre” acresenta.

Essa foi uma proposta da Administração de Almir e Alexandre que em Audiência Pública resolveram investir nessa pesquisa e aceita por membros do Hospital e Maternidade Dona Lisette, que no caso é uma instituição privada.

Estiveram presentes na reunião, além da equipe do Instituto Vidas, a Secretaria Municipal de Saúde, Rosecler Poleza Círico, bem como profissionais ligados à secretaria, além dos vereadores Tiago Maestri (PSD) e Klaus Dieter Diel (PMDB), o Secretário de Administração e Finanças, Elves Schreiber e o Assessor Jurídico da Prefeitura de Taió, Marco Vinícius Carvalho.


Mandados são cumpridos no Alto Vale

Vacinação contra a gripe acontece hoje

Rio do Sul recebe seminário de educação

Campanha “Remédio é Coisa Séria” acontece em Rio do Sul