Especial
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

Com a correria das cidades e o estresse cotidiano, as pessoas passaram a procurar, cada vez mais, lugares calmos e tranquilos, distantes dos grandes centros. Foi em razão do aumento da procura pelo turismo rural que duas irmãs resolveram transformar a casa de sítio feita com containers, em Alfredo Wagner, em hospedagem. Desde então a demanda é tão grande que os próximos meses estão com poucas datas disponíveis.

A arquiteta Jaqueline Walter é sócia da Pousada Container. Ela conta que tudo começou com alguns projetos que ela fazia para a Serra Catarinense. Quando a irmã viu, gostou da ideia e pediu um projeto para uma casa de sítio para a família.

“Eu estava fazendo um projeto para pousadas, em Urubici, minha irmã gostou da proposta e elaboramos um projeto para ela, uma casa de campo, uma casa de sítio que é dos meus pais e fizemos o projeto nesse conceito de uma casa para família, tanto é que tem um quarto separado para a filha dela ou de visita. O projeto não foi pensado para locação e sim para a casa deles de sítio”, comenta.

Apesar de não ter sido pensada para pousada, quando tudo ficou pronto, em dezembro de 2018, começou a surgir procura e ela começou a alugar vez ou outra. “Durante um bom tempo eles alugavam esporadicamente, no final de semana, e depois de um tempo eu entrei para gerenciar as locações e virei sócia dela. Hoje a gente trabalha com hospedagem para receber as pessoas via Airbnb e Instagram. Temos muito mais procura via Instagram do que Airbnb”, revela.

A Pousada Container conta com um local amplo para receber os visitantes, são cerca de 900 metros quadrados com deck coberto, parquinho para crianças e toda a área dos containers, que são dois. “A gente tem quase 900 metros quadrados de área com parquinho, deck e a parte do container onde temos um quarto privativo e a área integrada que é a cozinha, a suíte e a banheira que tem um fechamento de vidro, dentro de dois containers”.
Ela ainda comenta a decoração feita no local. “Nós fizemos toda a parte de decoração e é tudo de muito bom gosto, minha irmã e eu caprichamos bastante no projeto de interiores”, acrescenta.

Questionada sobre os períodos de maior procura, ela comenta que ao contrário do que pensava, não há uma temporada específica.
“Com a nossa hospedagem, nós sentimos que não tem uma temporada em si, eu acreditava que tivesse uma temporada, mas a gente não tem. Ano passado recebemos de janeiro a dezembro direto, devido ao Parque Aquático que tem ali em Alfredo Wagner, o Salto das Águas, porque fazemos uma promoção com eles, no qual a gente faz a hospedagem alinhando e ganhando entradas por casal. Várias formas para conhecer o parque aquático”, explica.

Questionada sobre as expectativas para os próximos meses de 2022, a arquiteta comenta que já foi observada uma grande procura, principalmente aos finais de semana.

“A expectativa para 2022 está bem legal, temos bastante procura. Para junho a gente não tem mais disponibilidade durante os finais de semana, maio quase todo fechado, abril apenas algumas disponibilidades. A gente ainda gostaria de mais procura durante a semana porque temos uma tarifa melhor, diferenciada do final de semana, temos estrutura para as pessoas trabalharem em home office. Final de semana estamos quase sempre com a agenda fechada porque é uma casa só”, completa.