Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

No início desta semana, a ituporanguense, Elisângela Scheidt Roncalio, recebeu do Ministério da Saúde menção honrosa pela atuação dos profissionais do Hospital Governador Celso Ramos (HGCR), nos trabalhos de conscientização, acolhimento e captação de órgãos e tecidos para transplante. Atualmente, ela ocupa o cargo de diretora geral da instituição.

O Ministério da Saúde concedeu a menção honrosa nesta segunda-feira (27), em Brasília, no Dia Nacional de Doação de órgãos, em que a campanha foi lançada. A homenagem foi marcada pela entrega de uma placa “Destaque no Processo de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes 2020” à diretora do hospital, como forma de reconhecimento aos serviços da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos junto às famílias de potenciais doadores.

Para Elisângela a doação de órgãos é uma atitude nobre e que salva vidas. “Receber este prêmio é resultado de muito trabalho realizado e estímulo dos nossos profissionais de saúde. Estendo essa premiação, principalmente, aos integrantes da CIHDOTT do HGCR e à Central Estadual de Transplantes, que nunca mediram esforços para fazer parte deste trabalho e aos familiares dos doadores que permitiram que as doações acontecessem. Meu sentimento é de gratidão”, ressaltou a diretora geral.

Doação de órgãos

De acordo com informações repassadas durante live de lançamento da campanha, o Brasil tem hoje, mais de 53 mil pessoas aguardando por um órgão, sendo que 31 mil aguardam por um rim. “São 53.218 famílias que sofrem juntas na fila de espera por um transplante de órgão ou tecido, de Norte a Sul do Brasil, que muitas vezes pararam a vida a espera de um recomeço. Maior parte das pessoas aguardam por um rim. Mais de 31 mil histórias de quem vive uma realidade difícil, que sofrem com doença renal crônica e passam por hemodiálise”, informa o Ministério da Saúde.
Por isso, este ano, a campanha realizada pelo Ministério da Saúde em relação ao assunto abordou a conscientização dos familiares, o incentivo a conversa sobre a doação: “Uma conversa que pode transformar uma vida”.

O objetivo é fazer com que a pessoa que gostaria de doar converse com a família ou amigos e revele o desejo, uma vez que somente as pessoas mais próximas podem tomar a decisão que é tão importante.