Cidade, Política

Líder de Governo da Câmara de Vereadores de Rio do Sul, o vereador James Rides da Silva (PSD), tem se dividido entre manter a harmonia com as bancadas que compõem a situação (PSD, PP e PSDB) e a de oposição (PMDB e PR) e os projetos, indicações e moções de própria autoria que são compartilhados na Casa.

Um dos projetos elaborados pelo vereador, que já tramita na Casa, trata de uma adequação que na prática aumenta o limite do perímetro urbano de Rio do Sul. O Projeto de Lei Complementar (PLC) 15/2017 pretende beneficiar diretamente os proprietários de terrenos que ficaram no limite entre a área de perímetro urbano e o interior do município. “São terrenos cortados uma parte na área urbana e outra na área rural, o proprietário tem dificuldade de fazer a exploração imobiliária, enquanto vizinhos que estão próximos têm alguns benefícios ”, observou.

A iniciativa permitirá, por exemplo, que uma parte desses terrenos possam ser destinados para a construção de loteamentos, respeitando o Plano Diretor de Rio do sul. “Respeitando leis ambientais, área de preservação, a metragem quadrada da área rural que tem que permanecer, ele utilizará essa outra parte para fazer o número de lotes ser considerado totalmente urbano”, acrescentou.

 

Indicação

O vereador fez uma indicação ao Executivo para que a telemetria do Rio Itajaí-Açu seja transmitida ao vivo em vídeo pela internet. A proposta é instalar uma régua de medição com uma câmera em um ponto na margem do rio que seja bastante frequentado por moradores, como o Parque Harry Hobus, que fica embaixo do elevado.

O vereador, que atuou por cerca de 15 anos com a Defesa Civil, considera que houve muitos avanços tecnológicos para acompanhamento em tempo real, e esse viria para reforçar o sistema e aumentar a confiabilidade nas informações oficiais que são repassadas. “As pessoas muitas vezes têm acesso rápido às redes sociais, sites oficiais da Defesa Civil, são números, porcentagens, indicações importantes, mas a população não tem algo que ela possa visualizar”, falou.

 

Moção

Bombeiro Militar aposentado, James não esconde a preocupação com o efetivo na área de segurança pública em Rio do Sul. Ele lembra que o 13º Batalhão da Polícia Militar está com o efetivo reduzido, e mesmo assim tem feito um bom trabalho no Alto Vale. Em conversa com o Tenente Coronel Abreu, ele soube que o Batalhão necessita de um reforço de 60 homens para ter o efetivo considerado normal.

Hoje, cerca de 900 soldados estão em formação em todo o estado, sendo que 30 estão fazendo o curso de preparação no 13º BPM, mas não devem ficar. Os melhores ranqueados por nota têm a opção de escolher a região em que querem iniciar a carreira.

Uma moção feita por James e assinada por todos os vereadores de Rio do Sul, pede ao Governo do Estado o efetivo necessário. “O pedido é de 60 policiais para integrarem as forças do 13º Batalhão, não significa que os 30 soldados que estão em formação aqui ficarão, mas abrirá 60 novas vagas que poderão vir de formações de outros batalhões. Temos que fazer um movimento político forte”, concluiu.

Albanir Júnior