Cidade
Foto: Helena Marquardt

Helena Marquardt/DAV

Jaraguá do Sul desistiu de sediar a etapa estadual da 60ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) 2021 prevista para ocorrer de 27 de outubro a 5 de novembro. A desistência foi confirmada por meio de um ofício assinado pelo prefeito Antídio Aleixo Lunelli e a secretária de Cultura, Esporte e Lazer Natália, Lúcia Petry. Agora a Fesporte busca alternativas para manter as competições e Rio do Sul seria uma das cidades cotadas, mas o superintendente da Fundação Municipal de Desportos afirma que este não seria o foco para este ano. O assunto deve ser decidido nesta quarta-feira(17) quando o presidente da Fesporte estará na capital do Alto Vale.

No documento, a gestão municipal de Jaraguá do Sul citou a questão da pandemia da Covid-19, ressaltando que o momento é de incertezas que envolvem, inclusive, o risco de vida. “Neste cenário, a gestão municipal de Jaraguá do Sul não se sente em condições de preparar-se para tamanha responsabilidade em receber adequadamente o evento e declina da sede em 2021”, diz parte do texto.

Para o presidente da Fesporte, Kelvin Soares, é compreensível que as decisões do município sejam pautadas pelas restrições impostas pela pandemia, mas a Fesporte buscará outras alternativas para a realização do evento em outra sede. “Com a desistência de Jaraguá iniciamos um novo processo para que tenhamos uma nova sede para o maior evento poliesportivo no nosso estado”, afirmou Kelvin.

Procurado pela reportagem, o superintendente da FMD de Rio do Sul, Jeberton Fermino declarou que o município já será sede dos Jasc em 2022 e neste ano do Parajasc, por isso o foco não é receber a competição. “Rio do Sul vai receber o Parajasc e Rio do Sul se mantém parceira do Governo do Estado para esta competição. O presidente da Fesporte vai estar aqui nesta quarta fazendo uma visita nos locais públicos e praças esportivas onde vamos conversar sobre o orçamento e também estar dialogando para projetos futuros”, disse.

Prioridade de Rio do Sul são os Parajasc

Sobre os Jogos Abertos ele declarou que a realização não depende apenas do município. “Depende do prefeito, de toda uma estrutura por trás disso, do repasse de um valor e vamos estar conversando sobre essa possibilidade para ver se conseguimos absorver esse grande evento, mas no meu ponto de vista tem outras cidades que estão melhor preparadas, como por exemplo Timbó que sediou os Jogos Abertos de 2019 e tem praças esportivas muito mais adequadas que as nossas. Nosso foco ainda é manter os Parajasc em 2021 e o Jasc em 2022 porque lá estaremos mais preparados.”

Ele comentou que na capital do Alto Vale os espaços esportivos estão sendo melhorados neste momento e mesmo tendo uma equipe técnica e administrativa com capacidade para organizar os Jogos Abertos a competição necessita de investimento e uma estrutura que hoje Rio do Sul ainda não tem. “Não adianta a gente querer absorver, querer fazer se não tiver recursos suficientes. Estamos no meio de uma pandemia e daqui a pouco se o valor bancado pelo estado não for suficiente para a estrutura dos Jogos, vamos ter que tirar dinheiro público da administração e aí fica complicado. O objetivo de trazer os Jasc não é só melhorar as praças esportivas, mas justamente trazer o público para movimentar a economia”, conclui.