Política
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

Cumprindo agenda política no Alto Vale, o senador Jorginho Mello, do PL afirmou em entrevista coletiva que a candidatura de apoiadores de Bolsonaro nos três estados do Sul já estaria definida. Ele mesmo disputaria com a ajuda de Bolsonaro o Governo de Santa Catarina, Onix Lorenzon o do Rio Grande do Sul e Ratinho Júnior o do Paraná.

O senador declarou que com o auxílio do presidente está tentando construir um projeto político que seja vencedor. “Ninguém é dono da verdade, ninguém ganha uma eleição sozinho então estou conversando com vários partidos, respeitando, ouvindo e que isso resulte numa solução eleitoral. O projeto tem que ser bom para o eleitor e para Santa Catarina, não para grupos de partidos e tenho construído justamente isso”.

Mello fez duras críticas ao governador Carlos Moisés e ressaltou que não abrirá mão do apoio ao presidente Jair Bolsonaro. “Ele é um homem de mão limpa e não vou abrir mão disso. Pode chover canivete aberto esse é o projeto para ser vencedor que está sendo construído. Uma pesquisa recente apontou o governador Moisés em primeiro e eu segundo porque muitos eleitores que votaram para ele ainda pensam que ele está ao lado do Bolsonaro, mas daqui a pouco vão saber que ele foi o primeiro a abandonar o presidente. Nunca escondi o desejo de ser governador, mas ninguém pode fazer um projeto pessoal, o estado é que tem que ser o vencedor”, disse.

Caso seja mesmo candidato a governador de Santa Catarina ele garante que não vai utilizar recursos do fundo eleitoral. “Já não usei e não uso porque não há necessidade. E não pode falar da boca para fora. Não basta só falar tem que fazer”.

Ao fazer uma avaliação do PL no Alto Vale Jorginho declarou que na região, a sigla está muito bem estruturada e a tendência é de crescimento. “Temos lideranças importantes e o partido cria musculatura e está preparado. Temos procurado prestigiar a região com ajuda e recursos para que o PL possa continuar fazer esse trabalho maravilhoso e continue a trazer pessoas com credibilidade para somar e fazer a diferença”.

Agenda na região

Na região o senador esteve em Salete, Pouso Redondo, Taió e Rio do Sul, onde se reuniu com lideranças políticas. “O encontro é para falar sobre obras, sobre o que deseja o Alto Vale e política”, disse.

Perguntado sobre sua relação de proximidade com o ministro da Infraestrutura Tarcício de Freitas e sobre a situação precária da BR-470 o político declarou que tem cobrado melhorias e acredita que elas virão em breve. “Ele gosta de Santa Catarina porque a gente nunca criou dificuldade, somos sempre parceiros do governo e a BR- 470 é uma estrada importantíssima. O Dnit me informou que quer começa no mês que vem um tapa-buracos e há esse compromisso na recuperação. Não dá para esperar ela se acabar e depois ter que fazer nova”. Afirmou.

Questionado sobre a declaração do prefeito de Rio do Sul, José Thomé, de que os senadores mandam no Dnit e que a falta de manutenção na região está atrelada a isso, Mello rebateu dizendo que isso não é verdade . “É uma bobagem, ninguém manda no Dnit. São funcionários de carreira, engenheiros concursados e nomeados que obedecem ordem do diretor geral e do ministro Tarcísio. O que tenho feito é cobrar e não cabe essa fala que é fora de foco e que não constrói absolutamente nada”.