Política
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

O senador Jorginho Mello, do PL de Santa Catarina, que é pré-candidato a governador, recebeu nesta quarta-feira (8) a premiação Melhores Senadores de 2021 do Ranking dos Políticos. A entrega ocorreu durante uma cerimônia realizada em Brasília. Entre os critérios usados pelo ranking estão a qualidade da atividade parlamentar, assiduidade e atuação destacada antiprivilégio e anticorrupção, ficha limpa e coerência nas votações.
Mello se mantém como o melhor de Santa Catarina, desde quando foi eleito o “Melhor Senador do Brasil”, em 2019, época em que a premiação foi criada. Além disso, em 2021 ficou entre os TOP 15 na lista geral dos 594 congressistas.

Ao falar sobre a premiação ele citou o orgulho de ter seu trabalho reconhecido. “Me sinto muito honrado pelo reconhecimento do meu trabalho em prol de Santa Catarina. Sou um homem simples que me entrego 24 horas por dia ao cargo que ocupo, seja no atendimento das demandas do meu estado ou na construção de projetos importantes como é o caso do Pronampe, que salvou e milhões de empregos em todo país durante a pandemia. O meu princípio é simples, quem faz política faz para os outros e é isso que tenho feito: política de resultado e de entregas, e graças a Deus tenho colhido bons frutos”, ressaltou.

Pré- candidatura ao Governo do Estado

O senador Jorginho Mello é o pré-candidato do PL ao governado e tem declarado em entrevistas que terá o apoio do presidente Jair Bolsonaro. Ele afirmou ainda que está tentando construir um projeto político que seja vencedor. “Ele é um homem de mão limpa e não vou abrir mão disso. Pode chover canivete aberto, esse é o projeto para ser vencedor que está sendo construído. Nunca escondi o desejo de ser governador, mas ninguém pode fazer um projeto pessoal, o Estado é que tem que ser o vencedor”, disse.

Sobre possíveis alianças, o político declarou que está conversando com diversas siglas.“Ninguém é dono da verdade, ninguém ganha uma eleição sozinho, então estou conversando com vários partidos, respeitando, ouvindo e que isso resulte numa solução eleitoral. O projeto tem que ser bom para o eleitor e para Santa Catarina, não para grupos de partidos. Tenho construído justamente isso”.