Alto Vale
Foto: Redes sociais

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

O câncer é uma doença que afeta muitas pessoas em todo o mundo, mas a Jaqueline Correa Hinckel de apenas 17 anos sofre com um tipo bastante raro da doença, o Sarcoma de Ewing.  Depois de sentir dores e ver o inchaço no ombro, ela procurou o médico e após alguns exames recebeu o diagnóstico. Como a única renda da casa é a do pai, a família de Rio do Oeste pede ajuda para pagar as despesas diárias do lar.

Em razão das dores, reações da quimioterapia e do inchaço do braço de Jaqueline, a mãe dela precisou deixar o emprego para cuidar da jovem. Com isso, somente o pai está trabalhando e a renda não é o suficiente para pagar as contas da casa. Por esse motivo, eles resolveram pedir ajuda da comunidade. “Nós estamos fazendo a vaquinha porque o meu pai é o único que está trabalhando. Minha mãe precisou sair do trabalho para cuidar de mim, porque de uns meses para cá eu acabei piorando e a nossa renda é pouca. Meu pai ganha R$1.300 por mês e a gente paga aluguel, água, energia, e então fizemos a vaquinha para ajudar. Quem puder estar ajudando, a minha família agradece”, afirma.

A meta é arrecadar R$25 mil até o fim do ano para amenizar as dificuldades da família. Os interessados em fazer a doação podem fazer depósitos através dos seguintes dados: Banco do Brasil, agência: 2545-3, conta corrente: 11.330-1, em nome de Linete B. Correa, mãe de Jaqueline.  O link da vaquinha é: http://vaka.me/1720765.

No momento, a jovem faz um único tratamento, a quimioterapia para controlar a doença. “Eu estou fazendo apenas quimioterapia porque meu braço está muito inchado e para fazer uma cirurgia precisa desinchar”, completa.

História de Jaqueline

Tudo começou quando Jaqueline tinha 16 anos. Ela estava na escola ainda e sentia dores leves no ombro, mas com o tempo as dores pioraram e o inchaço também. Foi aí que ela buscou ajuda médica. “A gente achava que era um machucado ou alguma coisa, mas passou um tempo e foi agravando, começou a inchar. Fui ao médico, fiz raio-x e apareceu que meu osso estava machucado, aí o médico mandou fazer uma ressonância e foi nesse exame que apareceu que eu tinha um tumor ósseo. Ali comecei a fazer tratamento para diminuir, mas tem vezes que ele incha mais, vezes que incha menos”,finaliza.