Cidade
Foto: Helena Marquardt

Cláudia Pletsch/DAV

Nessa segunda (17), o Lar da Menina de Rio do Sul, que abriga crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, recebeu reforços de quatro monitores que foram enviados pela Secretaria de Educação para atuar na instituição. O abrigo que tem capacidade para 20 crianças e adolescentes e atualmente está em situação de superlotação, com 34 acolhidos,  teve  vários casos de servidores afastados por covid.

O administrador da instituição no momento, Patrick Münzfeld, explica que os monitores cedidos pela Prefeitura de Rio do Sul atuam de segunda a sexta-feira em sistema de revezamento. “São dois monitores por dia para nos ajudar”, revela.

Desde o início do mês foram confirmados 11 casos de Covid-19 no abrigo, sendo de uma criança e dois adolescentes, além de oito funcionários que tiveram que ser afastados. A falta de efetivo para cuidar dos internos foi o que levou a instituição a solicitar ajuda da Secretaria de Educação.

Já as crianças e adolescentes contaminados foram transferidos temporariamente para uma casa cedida pela Obra Kolping para evitar que contaminem outros internos. Lá eles estão sendo cuidados por uma educadora.

Patrick explica ainda que para a proteção dos funcionários e crianças uma desinfecção será feita no prédio.  “Nesta terça-feira a gente vai fazer uma desinfecção geral em todo o Lar da Menina para tentar prevenir o Covid com as demais pessoas que trabalham aqui”, explica.

Segundo a diretoria da instituição até o momento nenhum dos casos confirmados apresentou complicações.