Cidade
Foto: Rafael Beling/DAV

Os primeiros passos para a construção de um novo espaço para o Clube das Mães Lar da Menina, de Rio do Sul, foram dados. Isso porque foi definido que o projeto arquitetônico do local será desenvolvido gratuitamente pelo Núcleo de Arquitetos da Associação Empresarial de Rio do Sul (Acirs) e da Unidavi. A ideia é fazer com que a entidade se pareça com uma residência para oferecer mais conforto às crianças abrigadas.

De acordo com o presidente do Lar da Menina, Adilson Antunes, o projeto deverá seguir algumas normas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente (Conanda). Além disso, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina também está empenhado em adaptar todos os abrigos a um modelo, por isso surgiu a necessidade de construir um novo espaço. “O juiz da Vara da Infância e Juventude de Rio do Sul chamou a Prefeitura e pediu para ela fazer um estudo de um novo abrigo, como deve ser. Então, depois de duas reuniões, o pessoal chegou à conclusão de que nós temos que fazer um projeto disso”, explica Antunes.

A segunda reunião foi realizada na última terça-feira (21) com todas as instituições envolvidas e com representantes da Secretaria de Gestão de Governo (Segov) e de Assistência e Desenvolvimento Social (Seades). As sugestões e demandas apresentadas serão repassadas aos arquitetos que desenvolverão o projeto, que está sendo realizado de forma colaborativa. “Consideramos as opiniões de todos os envolvidos no processo de acolhimento de crianças e adolescentes. Vamos elaborar as propostas de melhorias de forma democrática, sempre pensando no bem-estar dos menores”, ressalta o diretor técnico de Gestão e Inovação da Segov, Odair da Rosa.

O presidente do Lar da Menina adianta que não há previsão para a conclusão do projeto, nem para a construção do espaço. Quando tudo estiver finalizado, a intenção é unir forças para arrecadar os recursos necessários para a obra. Ainda segundo Antunes, o próprio terreno da entidade poderá abrigar o novo prédio. “O Lar da Menina tem um terreno enorme. Não precisa de terreno, pode ser construído exatamente naquele lugar”, declara. De qualquer forma, o levantamento topográfico do terreno será feito pela Unidavi, também de forma voluntária.

O objetivo principal do projeto é fazer com que a entidade se pareça mais com uma residência, e menos com uma instituição. Além disso, o espaço também deverá ser adaptado para abrigar no máximo 20 crianças. “A filosofia é a seguinte: que os abrigados se sintam em casa. O Lar é um prédio grande, de dois andares, em cima é só dormitório, então eles querem acabar com essa figura de um mausoléu, eles querem dar uma feição de uma casa”, afirma Antunes. Atualmente, o Lar da Menina abriga 13 crianças, mas já chegou a acolher 60.

Segundo o prefeito José Thomé, a participação da Prefeitura na criação de estratégias para aprimorar o atendimento às crianças e adolescentes é essencial. “Estamos colaborando para a criação do projeto arquitetônico, que é o primeiro passo para a construção do novo prédio. Em seguida, na medida do possível, contribuiremos na captação de recursos para a construção”.

Carolina Ignaczuk