Cidade
Foto: CRS/DAV

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

A chuva dos últimos dias que foi motivo de alegria para tantas pessoas após um longo período de estiagem, também trouxe a tona um problema antigo que não está nem perto de resolvido: os alagamentos no centro da cidade, sobretudo nas proximidades da rua Carlos Gomes e que com frequência causam preocupação entre os lojistas.

O gerente de um dos estabelecimentos que já foi atingido pela água algumas vezes, Elvis Louzada Tyczkiewicz, disse que não sabe ao certo a solução para o problema, mas acredita que faltam ações efetivas do Poder Público para evitar esse tipo de situação.
“Dessa vez a água não chegou a entrar, mas não podemos dormir tranquilos quando chove forte porque sempre que chove muito em um curto espaço de tempo alaga ao lado da loja. A água chegou a entrar na loja uma vez, mas sempre chega próximo da porta e aí quando os carros passam faz uma onda e acaba entrando. Nunca vi ninguém se movimentando do Poder Público para resolver, o máximo que vi fazendo foi limpeza dos bueiros, mas de nada adianta”, desabafa.

Ele comenta ainda que a calçada é limpa pelos próprios lojistas e após os alagamentos a rua fica por dias com barro, que acaba secando e faz muita poeira. “Já entregamos um ofício para a prefeitura sobre isso, mas o único retorno foi que a informação foi passada para a Secretaria de Obras para a limpeza dos bueiros. Acredito que deveriam fazer uma obra focada nisso, mas sei que o comércio que não é atingido é contra”, destaca.
Outra funcionária de uma loja nas proximidades, Fernanda Silva, acredita que o problema não esteja somente na rua Carlos Gomes, mas também nas ruas de partes mais altas de onde a água acaba descendo.

“O problema aqui na loja é da rua de cima, na Avenida Oscar Barcelos, porque vem a água da rua do hospital, os carros passam fazendo pressão e entra na loja. Os móveis molham e estraga um pouco”, avalia.

A reportagem entrou em contato com a Administração de Rio do Sul e questionou sobre possíveis soluções para um problema relatado pelos lojistas. Em nota enviada pela assessoria de imprensa a prefeitura alegou que o Município está em busca de alternativas para a realização de uma ou várias obras que possam reduzir os alagamentos na região da Praça Dias Velho, e as ruas Carlos Gomes e Oscar Kirsten.

O texto diz ainda que um levantamento foi feito pela equipe de engenharia da prefeitura e uma galeria de drenagem no local não seria a solução para o problema, visto que teria um custo alto, e não teria a inclinação da rede para correta vazão da água da chuva coletada pelos bueiros, além de ser arriscado em razão de a região ter ruas estreitas.

A intenção, segundo nota, é construir redes de drenagem maiores em partes mais altas da cidade, desde o bairro Boa Vista até passando pela rua Tuiuti e imediações o que seria uma forma de canalizar melhor a água da chuva, distribuindo-a e evitando que se concentre na Praça Dias Velho, local muito baixo e de difícil escoamento.

“Estas obras em outros pontos seriam uma maneira de reduzir o impacto no trânsito, já que a rua Carlos Gomes é muito importante dentro da estrutura viária do centro da cidade. E ainda a região de grande comércio pode ficar prejudicada por obras de infraestrutura de grande porte. Ainda não há prazo para as intervenções nas partes mais altas da cidade, diminuindo o escoamento da água da chuva. Mas a expectativa é que tudo possa ser solucionado entre 2021 e 2022”, diz a nota.