Alto Vale

Reportagem: Gabriela Szenczuk/DAV

Mesmo em época de pandemia do coronavírus as obras na cidade de Rio do Oeste seguem normalmente. Na última semana, por exemplo, foi concluída a pavimentação da Rua Paulo Sardanha, que fica no centro da cidade e liga os bairros Gabiroba e Bela Vista. Com o custo de R$ 71 mil reais, os recursos vieram diretamente da Administração Pública, Câmara de Vereadores do município e dos próprios moradores da localidade.
Segundo o prefeito da cidade, Humberto Pessatti, embora o período seja de falta de chuva e preocupação com a estiagem em todo o estado, seguem em andamento as obras de sobrelevação de estradas próximas ao rio. “Rio do Oeste é um município que tem bastante incidência de enchentes. Estamos fazendo alguns trechos de elevação para que, além do alargamento, previna-se algumas consequências de possíveis enchentes”, conclui o prefeito.  A Rua Padre Fiorino, conhecida como Lombard Street, está com 80% da pavimentação pronta e a previsão é de que as obras sejam finalizadas em até 20 dias. Ao final de junho a estrada já deve contar com iluminação e considerada totalmente concluída. Os recursos são do Ministério do Turismo, de R$ 250 mil e do próprio município, com contribuição de R$ 84 mil para a iluminação.

Vacinação da gripe é prorrogada e pode ser feita com agendamento

A campanha nacional de vacinação da gripe, que teve início no dia 23 de março, foi estendida até o dia 04 de junho em todo o Estado. Em Rio do Oeste, do dia 11 ao dia 18 de maio serão vacinadas crianças de 06 meses e menores de 06 anos, deficientes, gestantes e puérperas até 45 dias. Segundo a Secretária de Saúde do município, Caroline Ricken Kreusch, a partir do dia 16 de maio inicia o dia D de vacinação a partir das 8h. Para agendar a vacinação ou outros serviços de saúde, basta ligar no telefone 3543-0188 e realizar agendamento prévio.

Coronavírus

Ainda não há nenhum óbito, caso confirmado nem suspeito de coronavírus na cidade. Quatro casos já foram descartados após realização de exame e cinco seguem em monitoramento sem coleta. Ainda segundo Ivana, há uma “Área Covid” na unidade de saúde municipal, específica para pacientes com problemas respiratórios e síndromes gripais. Os atendimentos seguem disponíveis, porém, de forma reduzida para evitar aglomerações e contato social por conta do vírus. Além disso, as equipes de saúde têm dado prioridade para casos mais graves.
Outros atendimentos como mutirão de castração e coleta de água de poços ou nascentes para análise também seguem funcionando de forma reduzida.