Alto Vale
Foto: Ederley Bruno Müller Silva

Reportagem: Cláudia Pletsch/DAV

Quatro cidades do Alto Vale estão há mais de uma década sem registar homicídios segundo dados da Diretoria de Informação e Inteligência (DINI) que foram divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP). Witmarsun, Chapadão do Lageado e Mirim Doce estão há 12 anos sem registrar assassinatos e José Boiteux está há 10 anos sem registros de homicídios.

A Secretaria de Segurança Pública informou ainda que nesse ano mais da metade das cidades catarinenses não registraram nenhum homicídio. Dos 295 municípios, 173 não tiveram registros durante os 10 meses desse ano. Nas cidades em que houveram os crimes a taxa de resolução dos casos é alta: em 48 cidades é de 100% e em 55 municípios é de 80%.

De acordo com a pesquisa Atlas da Violência desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) o estado tem a segunda menor taxa de homicídios do país levando em consideração os três grupos abordados, que são: gerais, jovens e mulheres. Ainda segundo a pesquisa em 2018 houve uma queda do número de homicídios no país, em 2017 foram 65.602 registros e em 2018 foram 57.956 crimes.

O comandante do Destacamento da Polícia Militar do Município de Chapadão do Lageado que está há 12 anos sem registrar um homicídio, Kleber Leandro da Cunha, diz que acredita que os bons números se dão pelo aumento da presença policial no município. “Um dos fatores é a maior presença policial na comunidade, pois eu lembro que na época que ocorreu o último assassinato tinha aqui apenas um policial. Hoje nós temos um policial civil e quatro policiais militares, o que dá uma cobertura maior e mais segurança também para a população. Como nossa comunidade é uma comunidade pequena é mais fácil de ter uma maior cobertura” explica.

Kleber ainda diz que outro fator importante é que a agilidade dos policiais para chegar ao local de denúncia faz com que se evite ocorrências mais graves. “A gente tem intensificado bastante o policiamento também em áreas mais problemáticas para que a gente possa dar uma resposta mais rápida nesses locais, assim crimes que possam estar acontecendo são atendidos de forma mais rápida e conseguimos evitar que aconteça algo mais grave”, relata.