Cidade
Foto: Helena Marquardt

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

O policial rodoviário federal, Manoel Fernandes Bitencourt, de Rio do Sul, é pré-candidato a deputado federal pelo PT e diz que na política pretende ter a mesma postura que tem em sua atuação profissional. O petista destaca ainda que trabalharia no combate a corrupção e sempre fazendo tudo de forma correta.

Manoel é filiado ao PT desde 1986, quando estudava Teologia Popular. Ele conta que na época já atuava nas pastorais da igreja e foi convidado a fazer parte da sigla com o sonho de fazer uma sociedade melhor. “E a política é a ferramenta para que possamos ter o mundo melhor, que é nosso sonho e foi com esse debate que me convenceram a me filiar”, recorda.

Ele diz que sempre atuou nos bastidores das campanhas e que também foi candidato a vereador por duas vezes. Agora resolveu colocar o nome a disposição como pré-candidato a deputado federal porque acredita que pode contribuir com o partido e com a população. “Quando você milita em um partido você se coloca a disposição para o momento em que ele precisar. No Alto Vale tivemos uma reunião e foram escolhidos quatro nomes como pré-candidatos, dois a estadual e dois a federal. Agora estamos fazendo uma rodada de reuniões em todos os diretórios apresentando esses nomes e no início do ano que vem teremos a definição”.

Manoel garante que na política vai levar a mesma postura que tem na vida profissional. Ele lembra que quando passou no concurso para ingressar na Polícia Rodoviária Federal, em 1994, se deparou com uma realidade de corrupção na instituição. “As pessoas vinham me falar, você é um cara tão correto, vai entrar para a Polícia Rodoviária que é conhecida por ter um grande número de casos de corrupção? E infelizmente tinha, mas eu entrei e nesses 27 anos eu tive que denunciar colegas, prender colegas por corrupção. Ou seja, além de eu não ter me corrompido eu ainda ajudei e tenho ajudado nesse combate. Então, se eu me eleger, as pessoas podem esperar uma atuação firme, dentro do que é correto, porque essa é minha natureza e é assim que eu sempre agi”, ressalta.

Ao falar de partidos ele fez uma comparação da gestão do PT a frente do Brasil com a gestão de Bolsonaro e diz que o Brasil tem perdido programas importantes nos últimos anos. “O que vemos do governo Bolsonaro é que é um governo que não tem projeto, não se percebe para onde ele quer ir, o que ele apresenta para a sociedade e além disso está desconstruindo tudo que foi construído, vários projetos foram destruídos e nesse momento é fácil da população comparar o que tínhamos, o que temos e o que queremos para o futuro.”

Além da formação em Teologia popular, o petista também é formado em Administração e Direito. Ele possui ainda três pós-graduações.