Alto Vale
Foto: Divulgação

Reportagem: Helena Marquardt/DAV

O médico Afonso Motta Francisco, que atua na Atenção Básica em Ituporanga, foi convocado para a Seleção Brasileira de Hóquei na Grama Sub-21 que disputará o Campeonato Panamericano que acontece em agosto no Chile e pode garantir vaga para a equipe no mundial da categoria. O embarque da comitiva está previsto para o dia 21 de julho.

Afonso também se graduou em Educação Física e depois cursou Medicina. Há cerca de um ano e três meses atua no Bairro Vila Nova em Ituporanga. Ele conta que sua história com o Hóquei começou há 16 anos numa escolinha em Florianópolis e desde então ele sempre esteve envolvido com o esporte. “Comecei nesse projeto lá em 2005 que era feito pela Confederação para montar um time para jogar os Jogos Panamericanos do Rio em 2007. Na época joguei na Seleção Adulta e depois disso continuei com eles. Viajamos por muitos lugares do mundo, inclusive disputamos o pré-olímpico no Japão em 2012. Acabamos não nos classificando para os Jogos de Londres, mas a experiência foi muito legal”, lembra.

Ainda ao falar de sua trajetória, ele ressalta que em 2015 decidiu largar a Seleção para se dedicar exclusivamente a faculdade de Medicina, mas a paixão pelo Hóquei o manteve próximo da modalidade. “Precisei mudar um pouco o foco para a faculdade de Medicina e não consegui fazer parte do time que disputou os Jogos Olímpicos do Rio. Acabei indo apenas para trabalhar com a modalidade na questão logística e estatística. O Hóquei acaba me proporcionando muitas experiências diferentes”.

Depois o médico conta que passou a trabalhar na modalidade, mas desta vez na arbitragem. “Fui por alguns anos oficial técnico, mesário, inclusive de competições nacionais e internacionais e agora depois que terminei a faculdade de Medicina e comecei a trabalhar em Ituporanga fui chamado pelo treinador para compor a Comissão Técnica da Seleção Sub-21 como médico”.

Afonso se diz bastante feliz com a convocação porque garante que a modalidade sempre esteve presente em sua vida. “O Hóquei sempre me motivou, sempre esteve presente na minha vida e todas as coisas que faço tem algo a ver com esporte. Ele sempre esteve como um plano de fundo de todos os meus objetivos e a Medicina do Esporte é uma área que eu gosto muito, além da Saúde da Família e é algo que quero levar para frente”, revela.

Atualmente ele ainda defende um time do Rio de Janeiro que chegou a ser campeão Brasileiro no ano de2017, mas nesse momento as competições estão paralisadas em virtude da pandemia.