Cidade, Segurança

Nesta quarta-feira (6), Petrônia Luchterneg levantou cedo para trabalhar como todos os dias. A demanda, porém, foi bem diferente. Como a água chegou a 70 centímetros de altura na loja de informática da rua Coelho Neto, no Centro de Rio do Sul, foi a hora de limpar o rastro de barro deixado pela enchente. Assim como ela, outros comerciantes da região central da cidade aproveitaram a trégua da água para fazer a limpeza.

A Prefeitura de Rio do Sul disponibilizou caminhões que realizaram a limpeza das ruas. A maioria dos estabelecimentos já tinha retirado móveis e mercadorias no fim de semana e na manhã de segunda-feira. A precaução é uma herança de cheias passadas. “A gente já sabe como funciona, tanto que na quinta-feira já tirei as minhas coisas”, comentou Petrônia. A esperança agora é que a água não volte a subir, para que o comércio retorne à rotina ao longo dos próximos dias.

Para os desabrigados, o momento é diferente. A orientação da Defesa Civil de Rio do Sul é que mesmo com o nível do rio Itajaí-Açu descendo, as pessoas continuem nos abrigos. Os desalojados – aqueles que foram para a casa de amigos e parentes – também precisam ter cautela, devido à previsão de chuva para os próximos dias. “Com a possibilidade de mais chuva para esta quinta-feira, estamos muito atentos às movimentações dos níveis dos rios e também das barragens de Taió e Ituporanga. Ituporanga tem uma particularidade que é o fato de ainda verter água sobre a estrutura, o que deixa a situação ainda mais incerta em caso de volumes de muita chuva”, comentou o coordenador da Defesa Civil de Rio do Sul, Moacir Cordeiro.

Ele ainda apontou a necessidade da população se manter cautelosa na volta para casa. “O que podemos adiantar para a comunidade é que evitem voltar para casa antes que a Defesa Civil se pronuncie. Isso deve acontecer nesta quinta no período da manhã ou início da tarde. Até lá teremos um quadro real de quanto pode subir o nível do rio e qual a previsão de possíveis novos alagamentos”. A Defesa Civil de anunciou, nesta manhã, a redução da cota de inundação para 11 metros, um a menos do que o mantido durante os últimos dias. Com a diminuição do nível das águas, quem reside em áreas de 12 metros tem autorização para retornar para suas casas ou iniciar os procedimentos de limpeza.

 

Doações

Na cidade, são cerca de 200 famílias em abrigos por conta da enchente. Há necessidade de doação de itens básicos de higiene e alimentação. As doações podem ser feita na sede da Associação dos Servidores Municipais da Prefeitura, na rua Mafalda Ligner Porto, no bairro Progresso, e no Batalhão da Polícia Militar de Rio do Sul, na rua Tiradentes, bairro Santana.

Previsão para os próximos dias

As autoridades trabalham com a previsão de chuva para os próximos dias. De Acordo com o relatório da Epagri/Ciram, empresa de pesquisa vinculada ao Governo do Estado, a chuva ainda pode atingir Rio do Sul e região nesta quinta e sexta-feira.

Suellen Venturini