Cidade
Foto: Divulgação

Reportagem: Rafaela Correa/DAV

A empresária Mônica Aparecida Coelho Schmidt recebeu na manhã desta quinta-feira (9), durante a sessão ordinária na Câmara de Vereadores, a Comenda Mulher Empreendedora do Ano. A sugestão do nome de Mônica foi feita pela Associação Empresarial de Rio do Sul (Acirs), e contou com a participação da JCI Rio do Sul, o Rotary Club Centenário e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

A empreendedora trabalha no segmento de chocolates há mais de 20 anos e há pouco mais de10 focou na profissionalização da Dom Bombom Chocolates. Além disso, também atuou em outras áreas e presta serviços à comunidade. “Esse prêmio é feito todo ano pela Câmara de Vereadores e esse ano sugerimos a Mônica. Existem critérios, mostramos um currículo, as competências, formação, experiência profissional, de voluntariado e contribuição com a comunidade e acredito que tenha sido isso o que mais cativou os jurados. Ela já participa da Acirs desde 2011, é vice- presidente regional do Conselho Estadual da Mulher Empresarial. Criou a campanha “Chocolate Alegria” em 2015 e conseguiu com isso arrecadar um valor alto para ajudar a comprar equipamentos para o Hospital Regional, também é catequista e voluntária na Catedral São João Batista, ministra da eucaristia e também foi líder na mobilização do livre horário do comércio em 2019”, explica a coordenadora do núcleo da Mulher Empresária da Acirs, Sueli Laube Bonessi.

Para Mônica, receber esse prêmio é muito importante. Ela destaca a representatividade da homenagem e fala sobre a carreira. “Estou muito feliz de estar recebendo esta comenda e sei da responsabilidade de ter sido escolhida pelo Núcleo da Mulher Empresária da Acirs. Este núcleo é composto por inúmeras e competentes empresárias que fazem a diferença em nossa cidade. Grupo ao qual participo já faz mais de 10 anos e que acredito que tenha me fortalecido e me capacitado muito nesta caminhada. Acredito no associativismo e que quando nos propomos a fortalecer o outro somos nós que saímos muito mais fortalecidos”, avalia.

Mônica ainda destaca que empreender não é fácil, mas que é possível quando existe persistência e apoio. “Para ser uma mulher empreendedora decidida e resiliente, ter uma rede de apoio é fundamental. Desde os 14 anos de forma muito informal, iniciei na fabricação de chocolates, e nesta cidade que nasci e cresci, fundei a Dom Bombom. Temos orgulho de carregar em nossas embalagens que hoje percorrem várias cidades do Brasil, além da expressão obrigatória ‘Industria Brasileira’, a expressão ‘Industria Rio-sulense’. Em tempos tão difíceis ser reconhecido pela dedicação em empreender, nos fortalece a seguirmos em frente”, completa.