Cidade
Foto: Divulgação

Moradoras dos bairros Barragem e Rainha de Rio do Sul relataram momentos assustadores através das redes sociais na última semana. Elas alertam sobre uma tentativa de aliciamento de crianças dentro de casa, isso porque segundo os relatos nos dois casos o homem se encontrava dentro do pátio das residências.

No início dessa semana uma mãe relatou através do Facebook que um homem desconhecido teria tentado levar a criança a força de dentro da própria casa. “Estava com minhas meninas na sala e fui buscar um copo de água para minha filha, entre a cozinha e a sala dão no máximo uns sete passos. Quando voltei na sala tinha um homem puxando minha filha pelos braços. Quando vi corri pegar ela e comecei a gritar, ele saiu correndo e não consegui ver se estava de carro ou a pé”, conta.

A moradora ainda diz que apesar de ter a casa cercada o homem conseguiu entrar e se ela não tivesse retornado naquele momento, não sabe o que poderia ter acontecido. “Lembrando que ela estava comigo, eu saí em menos de um minuto tudo isso aconteceu. Minha casa é cercada, murada e mesmo assim esse homem teve a ousadia de entrar”, relata.

No bairro Rainha uma mãe conta que aconteceu um caso parecido, Ivalete da Silva lembra que a filha de 10 anos brincava no quintal da residência quando viu um homem dentro do pátio, ela diz que ele parecia estar filmando a criança. “Era por volta das 6h30 da tarde, eu estava dentro de casa e minha menina brincando na frente de casa quando percebeu o flash de uma câmera e se aproximou de uma árvore que tinha perto do muro e viu que tinha um homem ali, ele perguntou para ela se a mãe estava em casa então ela saiu correndo e veio me chamar. Eu saí com ela e vi ele com um celular e uma rosa na mão daí ele olhou para mim e disse que tinha vindo apanhar uma flor, quando voltamos para dentro de casa ela me disse que ele devia estar filmando ou fotografando ela, eu fiquei muito nervosa e fui pegar o celular, naquele momento ele entrou no carro e saiu”. Explica.

A mãe conta que achou a atitude do homem muito suspeita e que não sabe dizer a quanto tempo ele estava no local.

O apelo dos pais nas duas situações é para que os pais e familiares redobrem os cuidados mesmo dentro de casa.